sábado, 25 de setembro de 2010

Gente sem vícios

Obra de Gil Vicente

Gente magra, vegetariana e antitabagista me chateia. 

Ok, cada um faz o que quiser da sua vida e eu que vá plantar batatas. 

Mas essa gente sem vícios, que prega a "saúde total" e os bons modos, está se proliferando de tal maneira que logo o mundo se transformará em um convento de freiras anoréxicas.

Não, não estou exagerando. 

E basta observar a extensa lista de "proibições" que surgiram de algum tempo pra cá e você me dará razão:

- é proibido fumar
- é proibido ser gordo
- é proibido comer carne
- é proibido chamar travesti de "o" travesti
- é proibido ter barriga
- é proibido ser sedentário
- é proibido falar palavrão em estádios de futebol
- é proibido comercial de cerveja com loura devassa
- é proibido utilizar palavras como "denegrir" e "judiar"
- é proibido chamar negro de negro (e japonês de japonês, pode?)
- é proibido ter pêlos no corpo (homens, principalmente)
- é proibido ser feio
- é proibido fazer xixi na rua
- é proibido comer doce sem culpa (com culpa, pode?)
- é proibido fracassar
- é proibido ser infeliz
- é proibido marchar pela maconha
- é proibido usar barba (no Bradesco, condenado na Bahia por discriminação estética)
- é proibido adolescentes ficarem na rua depois das 22h (em algumas cidades do interior de São Paulo)
- é proibido falar homossexualismo (o certo é homossexualidade)
- é proibido prender urubus em gaiolas

E o presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D'Urso, tentou proibir a exibição de obras do artista Gil Vicente na Bienal. Queria decidir por nós o que devemos ou não apreciar. Quem ele pensa que é? E quem pediu a opinião dele?  

Sobre isso, Alexandre de Moraes, professor doutor e livre-docente de direito constitucional da USP, escreveu na "Folha": "À sociedade, a Constituição garante a liberdade de expressão; ao artista, o direito de expor suas obras; ao público, o direito de aprová-las ou repudiá-las; aos ofendidos, o direito de pleitear indenização por danos morais; e ao Judiciário, o dever de verificar se houve desrespeito à dignidade da pessoa humana."

Concordo. Para mim:

- é proibido proibir!

Além disso, alguém já disse que são os vícios que nos humanizam, não as virtudes.

********** 

PS. No blog Chá-tice, Letícia Simoni conta uma historinha que mostra bem o que é estar "fora dos padrões" nesta sociedade de "saúde total" e gente careta. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário