terça-feira, 14 de setembro de 2010

Nem toda avó vai pro céu

Chapeuzinho Vermelho

Que Deus me perdoe, mas devo confessar: eu não gosto muito de vovozinhas. Aos oito anos, quando conheci a história de Chapeuzinho Vermelho, vibrei quando me contaram que o Lobo Mau comia a avó da menina protagonista. Sei que isso não é normal numa criança de oito anos, mas cresci assim, com pavor de avós. 

Agora, diante do aparecimento de mais uma avó, sou obrigado a vir a público e revelar o meu segredo.

Nunca entendi essa minha aversão a avós. Tive duas avós bem boazinhas, que faziam todas as minhas vontades. Mas sempre mantive distância segura delas, principalmente para preservar as minhas bochechas. 

Avó adora apertar bochechas. Avó também gosta de engordar a gente com bolos de chocolate e outras guloseimas. De levar a gente pra dormir na casa delas. E casa de avó é sempre meio mal-assombrada, não é?

Essa nova avó que apareceu recentemente em rede nacional é a mais assustadora que eu já vi nesses longos anos convivendo com a minha “vovófobia”. 

É avó que faz questão de dizer que é avó, em voz alta, para todos ouvirem. Como se ser avó, por si só, a “santificasse”. Não é bem assim. Nem toda avó vai pro céu. E essa avó aí não sei não.

Por isso, peço a todos que pensem bem antes de se emocionar com a “doce figura” dessa avó de ocasião. Ao contrário da avó da Chapeuzinho Vermelho, ela é capaz de comer o Lobo Mau.

Assinado: Zezinho 

2 comentários:

  1. Péssima postagem... e ainda por cima esta tua imagem isentiva a pedofilia!!! o idiota!!!

    ResponderExcluir