quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Perigo: falha no sistema nervoso

A tristeza sempre fez parte de mim

Sob o titulo “A primeira crise de ansiedade ninguém esquece”, postei um texto que falava sobre a minha primeira crise de ansiedade e a decisão de procurar um especialista em defeitos psicológicos. Em seguida, em “Procura-se um psiquiatra”, desabafei sobre a dificuldade de conseguir marcar consulta com um psiquiatra através de planos de saúde.

Pois bem. Passaram-se três meses depois do segundo post e eu ainda não me consultei com nenhum psiquiatra. Nesse tempo, mudei de plano de saúde e, por preguiça, deixei pra lá esse papo de depressão. Meu humor se estabilizou e parecia que as coisas voltariam ao normal. Ledo engano.

Continuo infeliz. E essa minha infelicidade constante está se tornando insuportável: para mim e para quem transita ao meu redor. Sim, a infelicidade incomoda. E, numa época em que é preciso manter as aparências, estar bem o tempo todo, as “pessoas felizes” costumam se afastar de quem está infeliz.

O problema é que a minha infelicidade é uma infelicidade sem causa aparente. Tudo está em seu devido lugar. Apenas eu estou fora do eixo: sem vontade de sair de casa, sem paciência para papos furados, sem motivação para qualquer coisa. É como se o meu organismo tivesse parado de produzir serotonina, o tal neurotransmissor responsável por melhorar o humor. Talvez, seja isso mesmo: falha no sistema nervoso. Falta procurar um médico para saber.

Vivendo nesse estado de insatisfação há algum tempo, tento descobrir quem eu sou, de onde eu venho. E, ao recorrer a essas indagações filosóficas, cada vez mais percebo que sempre fui um sujeito depressivo. O que eu pensava que era introspecção ou timidez, na verdade é um desencantamento brutal com a vida. Hoje, afundado no sofá, sinto que nasci com uma espécie de maldição: “Sereis eternamente triste”. Porque a tristeza sempre fez parte de mim, me puxando para baixo toda vez que eu tentava me desvencilhar dela.

Até aqui, tive uma vida sem muitos sobressaltos. E, por isso mesmo, sem grandes emoções. Minha vida, vale dizer, não daria nem um curta-metragem. Mas não é isso que me incomoda. Sei que o meu lugar no mundo, assim como o da maioria das pessoas, é o anonimato, a figuração. Queria apenas que essa infelicidade que me corrói a alma desaparecesse e me deixasse levar uma vida mais leve e descompromissada.

Juro que eu queria correr atrás do trio elétrico feito uma baiana tresloucada. Mas como ser feliz se o sorriso não vem?

9 comentários:

  1. O pior e q eu me sinto igual a vc. Já fui no medico e nada resolveu.

    ResponderExcluir
  2. Va ao medico,psiquiatra,ou neuro,minha filha esta tomando sertralina,esta melhorando,o problema é o efeito colateral,mas como ela esta no decimo nono comprimido,tenho a esperança q ainda vai melhorar,mas a tristeza graças a Deus foi embora,procure um medico e conquiste seu lugar na sociedade,abraços.

    ResponderExcluir
  3. Espero sinceramente que vc tenha se recuperado..👍

    ResponderExcluir
  4. Olá, pessoal.
    Eu parei de tomar reconter e agora estou tomando paroxetina de 20mg.
    Está sendo ótimo pra mim. Melhorei muito. As crises cessaram quase que por completo. Às vezes, quando fico um pouco ansiosa, tomo um alprazolan de 0,5. Desejo de coração que todos vcs melhorem, porque é muito triste sentir tudo e ao mesmo tempo nada. Um grande abraço a todos vcs.

    ResponderExcluir
  5. Olá gente!!! Eu comecei com uma crise de ansiedade faz exatamente três anos. Nunca pensei que isso pudesse acontecer comigo. É horrível realmente, só entende quem passa e quem acompanha a pessoa assim. Depois virou ansiedade com pânico e um pouco de depressão que são as tristeza e melancolia. Tentei vários tratamento e nenhum se ajustava comigo. E passei por outros psiquiatra até que uma fez um ajuste no meu remédio. Pois eu tomava cloridrato de paroxetina e passei a tomar o Daforin. Que é o mesmo mas não é genérico. Não me adaptava com a dose até passar em outro médico como disse. Ela ajustou meu remédio acrescentado o Reconter de 10 MG,meio comprimido a noite nos primeiros quatro dias depois um comprimido. O Daforin tomo 20 gotas depois do café da manhã e 10 depois do almoço. Me passou rivotril de 25mg sublingual para colocar debaixo da língua quando estivesse me sentindo com aquele mal estar da crise. Pois antes desse tomava rivotril de 0,05 quando em crise para ficar calma,porém sentia muito sono. Cheguei a perder meu emprego. Confesso que depois dessa mudança da medicação tive uma melhora excelente e estou até feliz!!! Então não desistam do tratamento de vocês porque realmente não e fácil. Mas creio que todos irão melhorar assim como eu!!! Coragem gente,vocês vão vencer!!!

    ResponderExcluir
  6. Comecei a tomar a 1 semana, não tive nenhum efeito colateral, estou ótima. Nunca me senti tão bem, comecei a me tratar no momento certo. A exatamente 1 semana não me irrito com besteira, estou bem e feliz!!!

    ResponderExcluir
  7. Eu estou tomando espran, a 4 meses, me sinto bem melhor da ansiedade, mas esses antes depressivos tiram toda a libido da pessoa, minha vida sexual acobou com esse medicamento, gostaria de saber se com vcs é assim também.
    Consertauma coisa e piora a outra

    ResponderExcluir
  8. Comecei a tomar hoje... Fiz o tratamento com ele a 3 anos atrás e agora estou muito ansiosa o médico me receitou novamente... Da uma sensação de fracasso... Medo dos efeitos colaterais e até vontade de não tomar... Mas quero fazer o tratamento pelo menos 3 meses. Que papai do céu acompanhe essa fase da nossas vidas! Que passe logo

    ResponderExcluir