sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Confissões de um blogueiro bunda-mole

Paul McCartney

Foi assustador. Escrevi um post sobre o Paul McCartney e, de repente, uma enxurrada de beatlemaníacos invadiu meu blog com machado em punho para me decepar a cabeça.

Comentários agressivos, xingamentos, “sangue nos olhos”. Entendi na prática que “quem escreve o que não deve, ouve o que não quer”. Deletei o post. Afinal, criei este blog para me divertir e aliviar minha ansiedade, não para ser linchado por fanáticos.

Opinião cada um tem a sua. Eu tenho a minha e a mantenho. Mas há opiniões que é melhor a gente não espalhar por aí, principalmente quando mexe com as paixões das pessoas. O Paul é amado por muitos. E eu nem me toquei disso.

Tenho dificuldade de entender a obsessão que as pessoas nutrem pelos artistas. Nunca me importei que falassem mal das bandas que gosto. Eu gosto. Se você não gosta, tudo bem. Vamos tomar uma cerveja e resolvemos isso com boas risadas.

Mas o que aconteceu hoje no blog foi um ataque orquestrado por gente que não admite opinião contrária a sua. O Paul é o maior! Os Beatles são os maiores! E ai de quem não concordar com isso: apedrejamento, cadeira elétrica!

Se fosse em outros tempos, eu aceitaria o enfrentamento com prazer e até vibraria com o acesso recorde e furioso ao blog. Sempre fui bom de briga. Mas há algum tempo tenho evitado polêmicas que não levam a nada.

Cansei de ser achincalhado à toa.

Aos que amam o Paul, bom show! 

16 comentários:

  1. Realmente, escrever em blog é correr riscos. E a Internet é tão versátil e, ao mesmo tempo, tão perigosa, que qualquer coisa que você faz ou fala se espalha em segundos. Concordo que cada um tem a sua opinião e que esta merece respeito, mas as pessoas fanáticas não conseguem entender isso, aí, paciência. De qualquer forma, educação é bom e não custa nada pensar antes de escrever nos comentários de alguém, né.

    Espero que esteja bem e que o choque tenha passado :)

    Fiquei curiosa com o texto ;)
    Beijos, até mais!

    ResponderExcluir
  2. E gente covarde deleta o post né?

    ResponderExcluir
  3. eu realmente amo o paul e os beatles.
    e confesso que fiquei interessado em saber o que você escreveu.
    eu adoro ouvir críticas às bandas que eu gosto..
    isso realmente gera assunto pra boteco =D

    ResponderExcluir
  4. Eu amo o Paul e tb concordo com vc que gosto é que nem c%, cada um tem o seu. Acho que tem que haver respeiro de ambas as partes. Só isso. Sou beatlemaníaca sim, porém não doente. Não tive oportunidae de ver seu post. Fiquei até curiosa. Se puder, mande para meu e-mail maricaze@gmail.com. Acho que se a critícia é feita com bons argumentos, a recrítica (rs) tb deve ser feita dessa maneira.

    ResponderExcluir
  5. você pode não gostar do paul, pode não gostar de beatles.
    o que faltou no seu post foi respeito e falta de informação.
    Paul McCartney está velho só na idade, faz muito sucesso, e agora você viu "a quem importa o paul mccartney e quem tempo a perder com ele", né? ;)

    ResponderExcluir
  6. Da próxima vez escreva com respeito.

    ResponderExcluir
  7. Gente, se eu quisesse criar polêmica, eu manteria o post no blog e partiria para a briga. Por respeito a vocês, deletei. Cada um gosta do que quer. Não sou fã do McCartney, nem dos Beatles. Alguns disseram para eu ouvir Restart ou Radiohead. Do primeiro, não gosto. Do segundo, sim. Usei, talvez de forma grosseira, o show do Paul no Brasil para dizer que o mundo continua a girar e coisas novas surgem. Adoro coisas novas, por mais insignificantes que sejam perto da obra dos Beatles. Sou assim. Fazer o quê?

    ResponderExcluir
  8. Acho q sou a mais fanatica pelo Paul, mas concordo com vc... Opiniao cada um tem a sua!

    ResponderExcluir
  9. No texto anterior: "...McCartney, em carreira solo, é apenas um músico mediano. Nada fez de artisticamente relevante nesse período". - Máh como assim?! Vamo procurar informações antes de sair falando essas coisas?!

    ResponderExcluir
  10. O problema não é o gosto. É a argumentação e as afirmativas desinformadas. Pra começar, o que é antigo é necessariamente ruim ou irrelevante? Dar atenção ao que foi feito em mil novecentos e bolinhas exclui ouvir tb o que está acontecendo de novo (a maior parte, curiosamente, reverencia os Beatles e McCartney - inclusive, seu trabalho pós-beatles)? Dos artistas (geniais) de sua geração, Paul é, certamente, um dos mais ativos. Lança trabalhos novos num ritmo que muitas bandas novas não conseguem seguir. E um é mais elogiado que o outro. Inclusive, há muito tempo, os críticos musicais usam um clichê, que é dizer a cada disco novo do Paul, entre outros elogios, que é o seu melhor trabalho desde Band on the Run. Onde está a referência aos Beatles? E dizer que ele se vale apenas do que fez com essa tal banda que já não existe há séculos...
    Pela sua própria competência e genialidade, Paul, George, John, Ringo e George Martin fizeram dos Beatles um mito e padrão de qualidade amado pelos mais diversos artistas de todos os gêneros (jazzistas, metaleiros, progressivos, pops, sambistas, chorões e bossanovistas). É certamente difícil seguir em frente, saindo da sombra do passado quando se é um ex-beatle. Paul conseguiu. Conseguiu sair da sobra dos Beatles sem abandoná-los totalmente (o que seria desnecessário e indesejável). Certamente poderia fazer um showzaço apenas com músicas do Wings, solo e Fireman (e já nos anos 70 fez alguns shows antológicos tocando apenas 3 ou 4 músicas dos Beatles)e muita gente pagaria caro pra ver. Mas pra quê? Ele gosta de tocar (e tem todo o direito, já que compôs todas elas), as pessoas gostam de ouvir.
    Agora eu só pergunto: vc ainda acha que os Beatles e o Paul são apenas coisas velhas que não merecem atenção? Lembre-se que nem tudo se trata de gosto ou opinião - algumas coisas são simplesmente fatos, quer se goste ou não.

    ResponderExcluir
  11. Olha aí o barulho por causa do "carinha laroca" dos Beatles... Ninguém é intocável em crítica pois ela é isso mesmo, sua opinião sobre algo - se o negócio dele é vender seu produto, eu posso gostar ou não e posso dizê-lo pra todo o mundo! E muito sinceramente, é o mais comercial dos Beatles todos, de valor artístico razoável nalgumas composições e do mais pop noutras, pop bem vendável entenda-se, e a haver algum endeusamento só poderia ser Lennon.
    E pro senhor preocupado com sua covardia, acho que covarde é ter nome de anônimo - é que tem tantos!!!

    ResponderExcluir
  12. ainda bem que sabe que é um idiota

    ResponderExcluir
  13. "Eu gosto. Se você não gosta, tudo bem." Sim, tudo bem, até o ponto que você posta um texto em seu blog falando mal do que a outra pessoa gosta, ai a coisa muda. E foi isso que aconteceu.

    ResponderExcluir
  14. Mas ainda tão discutindo isso? Acho que o Marcos esclareceu tudo ali no post.

    ResponderExcluir
  15. verdade,nao apenas ao publico,escrever aquilo que nao gostam acarreta ate suas parcerias.Foi isso que aconteceu por eu comentar sobre o google.Entao apos ser banido que continuei a escrever mais.Eu acho isso liberdade de expressao,humilhar e provocar eh uma coisa mas dizer o que sente sobre algo que naoo lhe agrada é outra. Eu mesmo nao gosto de É o tchan e ae, vai ser ridiculo de querer mudar o mundo na porrada para que todos gostem dessa M...da de musica?

    sinceramente,nao ligo o que dizem,escrevo para que gosto e para os irracionais dou a mensagem, BAD SERVER!

    ps: legal seu blog,parceria?


    Att, CuecaSexy
    www.cuecapublica.com

    ResponderExcluir