sábado, 9 de outubro de 2010

Feriado: lá se vão os tarados!

Feriado na praia

Cidade vazia. O tempo avança de mansinho. Quase silêncio na pauliceia desvairada. Até consigo sentir os cheiros suaves do abandono. Menos gente. Menos automóveis. Menos muvuca. E os bárbaros na estrada. Congestionados. Seguindo alegres rumo ao litoral. Até consigo vê-los sob o sol escaldante esparramados sobre a areia com suas gorduras à mostra. Milho verde pastel picolé de limão. Biquínis atoladinhos. E uma louca a berrar: sanduíche natural. Feriado. Lá se vão os apressados correr atrás dos filhos beber caipirinha se lambuzar de Cenoura Bronze. São Paulo inteira pra mim. Caminho devagar pelas ruas. Ninguém me agride. Os agressores estão longe pegando micose dando vivas ao calor. Feriado. Lá se vão os tarados. Violentar outra cidade. Fazer xixi no mar. Feriado pro-lon-ga-do. Enforca-se a segunda. Enforco-me na quarta. Quando os bárbaros retornam esturricados e voltam a me infernizar com seus grunhidos selvagens. 

Silêncio, por favor! É feriado. Quero aproveitar ao máximo a boa companhia do meu gato.        

Um comentário:

  1. Prefiro a solitude a solidão. Mas SP vazia e suas lindas obras construtivistas. Queria!

    ResponderExcluir