sexta-feira, 5 de novembro de 2010

A cachorrada da Paris Hilton

Paris Hilton

Imagine que você seja o cachorro da Paris Hilton.

Você moraria numa confortável mansão canina de dois andares, comeria do bom e do melhor, vestiria roupas de grife e passearia por Los Angeles no colo da “loira diaba”.

Vida boa, não?

Agora, imagine que, num belo dia, você “acorde com o cão”, sem paciência para os nhenhenhéns dos humanos e, num ato impensado, morda a canela fina da sua dona.

O que acha que Paris Hilton faria com você?

         1) Te expulsaria de casa.
         2) Pisaria na sua cabeça com o salto Louboutin.
         3) Mandaria os seguranças acabarem com você e sumirem com seu corpo.
         4) Deixaria você de “castigo”, sem ração por uma semana.
         5) Perdoaria a sua mordida.

Celebridades como Paris Hilton não cuidam/gostam de cães. Elas colecionam. Animais de estimação, para milionárias desocupadas e carentes, são como sapatos, vestidos ou joias: peças colecionáveis e, por vezes, descartáveis.

Os animais são usados pelas dondocas como “objetos de decoração” e, em alguns casos, para transmitir ao público uma imagem mais “humana”: “Oh, a Paris tem um chihuahua! Ela é gente como a gente”.

Não, não é. A Paris Hilton pertence a outra galáxia. E seus cães não são cães. São “bichos de pelúcia”. Por acaso, latem, abanam o rabo e fazem xixi no tapete da sala. Mas são bichos que estão ali apenas para “enfeitar” o ambiente.

Pra finalizar, respondo à pergunta acima: acho que Paris Hilton não optaria por nenhuma das alternativas. Chamaria os fotógrafos para clicarem a mordida em sua canela e, com um largo sorriso no rosto, declararia: “Nossa, não sabia que cachorros mordiam!”

Nenhum comentário:

Postar um comentário