quarta-feira, 24 de novembro de 2010

O Idiota Feliz no divã

 No divã

O Antonio Prata, lá no blog dele, escreveu algo que reparei acontecer também neste O Idiota Feliz: “Curiosos são os caminhos de um texto. Às vezes a gente escreve um, não dá muita bola pra ele e o pessoal gosta muito. Outras vezes acontece o contrário, a gente escreve achando que vão adorar o texto e, kabum! É um fiasco.”

Vou dar um exemplo. Escrevi Odete Roitman e os Cheirosinhos achando que as pessoas iriam reagir ao texto. Afinal, a reprise de “Vale Tudo” é um fenômeno. Ninguém deu bola para minha comparação entre “os fãs de Odete Roitman” e aqueles que menosprezam o voto dos pobres e querem “afogar” nordestinos. Outro texto que também achei que seria bastante acessado foi A Sociedade da Saúde Total. Caí do cavalo. Em contrapartida, Nota Sobre o Orifício Circular Corrugado, que eu não dava a mínima, bombou.

A coisa mais bacana de se escrever em um blog é a total liberdade para escolher os temas. Aqui, posso falar sobre qualquer assunto que me interessa. Dar opinião. Meter o bedelho. Falar mal dos outros. Fiz isso com Paul McCartney e fui linchado sem piedade pelos beatlemaníacos. Assim é. Quem desce pro play, tem que saber brincar. Em outras palavras: mexeu com Deus, aguenta o dilúvio.

Emitir opinião é sempre um risco. Há quem concorde com você. Esses normalmente voltam ao blog. Sentem-se “em casa”. Mas há aqueles que discordam e nunca mais vão ler uma linha sequer do que você escreve. Ser imparcial seria uma opção para agradar gregos e troianos. Mas deixo a imparcialidade para a imprensa noticiosa. O Idiota Feliz é um blog pessoal, retrata o que EU penso sobre o mundo. Nada além disso.

Minha intenção nunca foi informar. Mas debater, discutir e, sempre que possível, provocar. Sinceramente, não consigo ser do tipo “blogueiro boa gente”, que escreve mensagens “bonitas” e “edificantes”. O jeito como me expresso é meu jeito de ser: mais incomodado do que conformado com as coisas.

Também reparei que é difícil as pessoas comentarem sobre o que você escreve. Poucos fazem isso. E aí não sei se o motivo é o absoluto anonimato deste blogueiro ou o desinteresse puro e simples por aquilo que escrevo. Sim, todo blogueiro é vaidoso, quer ser lido e comentado, fazer os leitores se manifestarem. Mas descobri que isso nem sempre é possível.

De qualquer forma, cá estou, há quase quatro meses com O Idiota Feliz no ar. Satisfeito por saber que algumas pessoas visitam o blog com frequência e curtem os meus textos. No início, pensei que acabaria escrevendo apenas para mim. Ledo engano. Caiu na rede, é peixe, meu caro!

Os nove textos mais acessados até o momento:

01. Jovens, envelheçam! – sobre suicídio entre jovens homossexuais.
02. Êxodus – Reações Adversas – sobre o antidepressivo que tomo há 4 meses.
03. Confissões de um Blogueiro Bunda Mole – sobre McCartney e os ataques dos beatlemaníacos.
04. No Divã Astrológico do Acuio – sobre meu signo: capricórnio.
05. A Deselegância é Coisa Nossa – sobre a deselegância dos brasileiros.
06. E se Eu Votar em Marina? – sobre a candidata do PV.
07. Qual é a Cor do Amor? – entrevista com Márcia Okida sobre o significado das cores.
08. Sou Feia, Mas Tô na Moda – sobre fashionistas e o “hype” das gorduchas no mundo da moda.
09. Homofobia_sim Homofobia_não – sobre a discussão de homofobia no Twitter. 

A quem segue este blog, meu muito obrigado!

Um comentário:

  1. rsrsrs.

    é verdade. um texto é um filho que vai buscar caminhos desconhecidos.

    gosto muito do que leio aqui. escreves com tanta intimidade com as palavras que é fácil voltar várias vezes pra te visitar.e, sim, provocas pensamentos. e isso é muito mais legal.

    keep blogging...

    bj

    Adê

    ResponderExcluir