quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Tropa 2: Cada um que lamba a sua própria caceta

Wagner Moura em cena de "Tropa de Elite 2"

Atrasado, na rabeira dos 6,2 milhões de espectadores que já foram ao cinema assistir à “Tropa de Elite 2”, vi o filme do (anti) herói Capitão Nascimento com expectativa nas alturas. E gostei.

O diretor José Padilha parece que encontrou a tal “fórmula do sucesso”. “Tropa 2”, assim como o primeiro, consegue juntar na mesma trama, e com excelência cinematográfica, os tiroteios sanguinolentos dos filmes de ação hollywoodianos (o que atrai meninos e meninas que curtem cinema-pipoca) a questões relevantes sobre o Brasil (o que atrai a atenção de intelectuais e formadores de opinião).

Não é pouca coisa, seu Padilha! Que outro cineasta brasileiro consegue agradar público tão heterogêneo?

Como tudo já foi falado sobre o filme, vou dar meu pitaco em poucas palavras. Para mim, “Tropa 2” pode ser resumido na fala de um dos personagens do longa:

“CADA CACHORRO QUE LAMBA A SUA PRÓPRIA CACETA!”

No filme, o Capitão Nascimento fala de um tal “sistema”, entidade sem rosto que supostamente estaria por trás de tudo de ruim que acontece no Brasil: do tráfico à corrupção política.

Pois bem, seu Padilha, acho que desse “sistema” todos fazemos parte, inclusive o senhor, e cada um de nós “lambendo a nossa própria caceta”. Ou seja: agindo sempre em nome dos nossos mais (escusos) interesses.

O USUÁRIO de drogas que financia o TRÁFICO que corrompe a POLÍCIA que presta “serviços” para POLÍTICOS que se aproveitam dos POBRES e “facilitam as coisas” para EMPREITEIRAS que constroem viadutos por onde vão passar os carros importados da CLASSE MÉDIA que suborna o guarda que a multou por excesso de velocidade... Entendeu? “Cada cachorro lambendo a sua própria caceta”.

De resto, o filme diverte e faz pensar. Cinema da mais alta qualidade!

2 comentários:

  1. Me deparei com o seu blog essa noite por acaso, e achei interessante suas reflexões. Me identifiquei com algumas coisas, deve ser em parte por essa mente capricorniana racional a qual também possuo. Vejo um ceticismo básico que diverte e faz refletir. Parabéns. Estou navegando por essas letras, lendo de forma prazerosa, como quem descobre um novo autor (seja de livro, hq ou música).

    ResponderExcluir
  2. Estou curiosa pra ver o filme!
    Gostei do 1º! Boa crítica!
    Beijos!!!

    ResponderExcluir