domingo, 7 de novembro de 2010

Uum beijaço para Bento 16

Casal gay se beija durante a passagem do papamóvel de Bento XVI em Barcelona (Josep Lago/AFP)

 Por rádio, o chefe de segurança do papa Bento 16 avisa:

     - Senhor, não olhe para a esquerda.
     - Por quê? - pergunta o papa assustado.
     - Recebemos informações que um grupo terrorista planeja um atentado contra o senhor.
     - Como assim?! E vocês não fizeram nada para evitar?
     - Me perdoe, senhor! Fomos pegos de surpresa. Mas basta o senhor não olhar para a sua esquerda e tudo ficará bem.
     - Por que esquerda?
     - É onde estão os terroristas, senhor.
     - Esquerda... Só podiam ser terroristas! E o que eles pretendem fazer?

O chefe de segurança hesita.

     - Vamos, responda! - ordena Bento 16.
     - Um beijo, senhor... Quer dizer, um beijaço...
     - Ora, beijo é uma coisa boa...
     - Não é, não, senhor...
     - Como assim, não é? Você está zoando comigo, segurança?
     - Não, senhor. Eu jamais faria isso. Mas acho que o senhor não vai gostar desse beijo...
     - Por quê?

O chefe de segurança hesita novamente.

     - É um beijo... um beijo...
     - Vamos, fale!
     - Um beijo gay, senhor! Um beijaço gay! Os terroristas pederastas planejam se beijar bem na hora que o papamóvel passar por eles, na sua frente, na frente da imprensa, para o mundo inteiro ver...
     - Oh, céus...

Nesse instante, Bento 16, num ato espontâneo, olha para a esquerda.

     - Oh, céus...
     - O senhor está bem? - pergunta o chefe de segurança.
     - Meu Deus! Eles estão se beijando na boca!

Aflito, o chefe de segurança grita.

     - Não olhe, senhor! Não olhe para a esquerda! O senhor precisa virar o rosto agora!
     - É tarde, segurança... Eu já vi... 

Bento 16, com aquela expressão de avô bravo, deixa o rádio cair sem desligá-lo. Do outro lado da linha, o chefe de segurança ainda ouve as últimas palavras do papa:

     - Vocês vão se ver comigo, seus pecadores! Podem esperar!

**********

(É assim, de forma truculenta e vingativa, que a Igreja Católica, através do seu mais alto representante, trata os homossexuais, como pecadores merecedores de castigo. Se pudesse, não duvido que nos queimariam vivos como no tempo da Inquisição. Ao papa, um beijaço, para que ele aprenda que o amor não tem sexo.) 

3 comentários:

  1. leio este blog e aprovo, está nos meus favoritos. este último post me motivou a vir aqui reconhecer o quanto me informei, ri e refleti.

    associei-o ao livro "os 120 de sodoma", do marques de sade.

    Nele, garotas submissas e padres cheios de encantos voluptuosos entram em narrativas excitantes. Francesas fazem de tudo pra ganhar uma boa gorjeta dos representantes da igreja, que tiravam dinheiro do rei e dos fiéis. O engraçado é que a igreja continua se apropriando dos mesmos recursos até hoje. Mudou que no lugar de rei agora é governo e ao invés de ofertar o dízimo em dinheiro, agora usa-se cartão de crédito. Os pastores já tem a máquina eletrônica (sem fio, para passar de mão em mão) na própria igreja. Tem até stand do lado de fora ensinando os irmãos a passarem o cartão na máquina, pois muitos se confundem.

    Desse modo, m.s começa:

    "As guerras consideráveis que Luis XIV travou durante seu reinado, espoliando as finanças do Estado e os recursos do povo, enriqueceram secretamente uma multidão de sanguessugas sempre atenta às calamidades públicas, que provocam e nunca aplacam, para tirar proveito com maiores vantagens. O fim daquele reinado, por sinal tão sublime, talvez tenha sido uma das épocas do império francês em que mais surgiram dessas fortunas obscuras que não resplandecem senão por um luxo e devassidões tão nefastas quanto elas. Pouco antes do fim desse reinado e do Regente tentar forças essa multidão de vigaristas a estituir tudo o que tomara, por meio do famoso tribunal conhecido como Chambre de Justice, quatro dentre eles imaginaram as singulares orgias de devassidão que vamos relatar."

    Uma obra e tanto...

    ResponderExcluir
  2. Absurdo!

    Acho o cúmulo a maneira como a Igreja Católica trata os homossexuais, o sexo e tantos outros assuntos considerados "tabu".

    Não dá pra deixar as pessoas em paz, não?

    Gostei dos dois, que se beijaram sem se importar com o resto. É isso aí =)

    Beijos, Marcos, e continue fazendo posts ótimos assim e abrindo mentes ;)

    ResponderExcluir