sábado, 18 de dezembro de 2010

Ah, essa nossa indignação de sofá!

Os indignados

Indignados, reagimos como crianças birrentas. Esperneamos, batemos o pé, fazemos biquinho: “oooh...”

Indignados, corremos para o computador, sentamos a bunda na cadeira e tec tec tec... protestamos em 140 caracteres.

Indignados, arregalamos os olhos, vociferamos alguns palavrões e... mudamos de assunto: “Você soube? Nasceu o filho da Juliana Paes...”.

Indignados, fazemos piada.

Fala sério! Se a gente fosse um povo minimamente politizado saía para as ruas e quebrava geral, atirando pedras e coquetel molotov na cabeça da polícia, que nos atacaria com bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo.

Seria lindo de ver!

Mas nossa indignação é INDIGNAÇÃO DE SOFÁ.

Dá pra contar nos dedos as manifestações populares que tomaram as ruas nos últimos, sei lá, 30 anos: Caras Pintadas, Diretas Já e... Não lembro de nenhuma outra de grande mobilização. Você se lembra?

Não pense que essa inércia é sinal de civilidade, de resolver as coisas na base do diálogo e do tapinha nas costas. Nada disso. É mera preguiça, malemolência, desinteresse.

Brasileiro só se une na desgraça. Ou na bagunça. E é por isso que os maus políticos fazem o que fazem: prevaricam!

Fôssemos menos cagados e frouxos, o Brasil não seria esse puteiro a céu aberto.

3 comentários:

  1. Concordo! Também não me lembro de nenhuma manifestação fora as que citou e, se ocorreram, não deram muito certo.

    E, bom, se as pessoas se revoltam pela Internet, não é dando "tapinha nas costas" que vão resolver um problema...

    Bom texto, Marcos! Beijos =)

    ResponderExcluir
  2. Concordo com quase tudo. Piada não resolve, mas alivia. Abraço, Marcos!

    ResponderExcluir