sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

O chatroulette e os relacionamentos "fast-food"

Andrey Ternovskiy, criador do Chatroulette

O Google anunciou os termos mais pesquisados em 2010 em sua ferramenta de busca. No top 10 mundial apareceu em primeiro lugar o Chatroulette, plataforma de “conversas” em vídeo inventada por um jovem russo de 17 anos chamado Andrey Ternovskiy.

Para quem ainda não sabe o que é o Chatroulette, uma breve descrição.

O Chatroulette é uma roleta humana. Para acessá-lo, basta entrar na página (www.chatroulette.com), aguardar alguns segundos pela conexão e clicar em “permitir” vídeo e microfone. Pronto: imediatamente, um estranho de qualquer parte do mundo aparece na tela do seu computador. A partir daí, você decide se quer interagir com ele ou não. Para seguir em frente, é só clicar no botão “next”. Outro estranho aparecerá no lugar do anterior e assim por diante. Detalhe: não há como voltar. Ao passar de um estranho para outro, provavelmente você nunca mais irá encontrar aquela pessoa que apareceu anteriormente na tela.

É uma experiência bizarra, mas viciante. Como não sabemos quem será o próximo a surgir no vídeo, vamos clicando obsessivamente no botão “next”. Aviso: há muitos homens com as “partes baixas” à mostra. Ou seja, o Chatroulette não é lugar para menores de idade. Grupos de adolescentes, garotas com cara de tédio, homens sozinhos, mulheres com os peitos de fora, a fauna humana que surge na tela é diversa – e divertida. Alguns xingam. Outros tentam contato. A maioria nos ignora e segue em frente.

O anonimato é o principal ingrediente do sucesso do Chatroulette. Ao entrar lá, ninguém sabe quem é quem. Desse modo, pode-se interagir aleatoriamente sem necessidade de apresentações. Creio que o Chatroulette reproduz na web o que muitos procuram fora dela: relacionamentos “fast-food”, encontros casuais sem nenhum tipo de comprometimento. E essa é a grande sacada da invenção do jovem russo: a representação virtual do desejo humano de ignorar o outro, de usá-lo e descartá-lo sem ter que dar explicações, de escolher e ser escolhido por “alguém” que no minuto seguinte simplesmente deixará de “existir”.

Não sei se é a correria dessa tal “vida moderna”. Mas as pessoas, hoje, parecem ter menos paciência e tempo para se dedicar ao próximo. Preferem uma “rapidinha” às escuras do que relacionamentos reais e duradouros. Abrem mão de uma possível nova amizade para ficarem “escondidas” em seu quarto, interagindo virtualmente com estranhos. Nessa pegada individualista, em que a competição – e não a parceria – é hipervalorizada, os relacionamentos “verdadeiros” vão minguando, enquanto um exército cada vez mais numeroso de solitários acessa o Chatroulette em busca de alívio para suas frustrações.

É a contradição humana do momento: queremos ter um milhão de “amigos” (ou seguidores), mas não queremos encontrá-los pessoalmente, desperdiçar tempo com eles. Se forem completos desconhecidos, melhor ainda. Clica-se no botão “next” e a fila anda.

**********

Top 10 no mundo:
1. Chatroulette | 2. iPad | 3. Justin Bieber | 4. Micki Minaj | 5. Friv | 6. Myxer | 7. Katy Perry | 8. Twitter | 9. Gamezer | 10. Facebook

Top 10 no Brasil:
1. Larissa Riquelme | 2. Formspring | 3. Justin Bieber | 4. BBB 2010 | 5. Enem 2010 | 6. Restart | 7. Hotmail.com.br | 8. Luan Santana | 9. Assistir filmes online | 10. Globo.com.br

Um comentário:

  1. Esqueceu de falar das pessoas que se matam na frente da web cam... é, tem la também :S
    Não recomendo muito esse site, nem um pouco na real.

    ResponderExcluir