quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Sexo é apenas sexo

 É só sexo. Só isso

O preservativo se rompe durante a relação sexual. Acontece. Nas melhores (e piores) transas. Nada demais, certo? Mais ou menos. Se você estiver na Suécia, esse tipo de incidente pode virar caso de polícia. Julian Assange, o editor do polêmico Wikileaks, foi preso porque a camisinha teria estourado durante seu “encontro bíblico” com a ativista política Anna Ardin.

Ela o acusa de... estupro.

É, amigo, segundo o código penal sueco, "se você começar uma sessão sexual com preservativo e, por algum motivo, terminá-la sem, você pode ser acusado de estuprador".

Essa história ensina o seguinte: vai transar em outro país, conheça a legislação local para não se estrepar igual ao Assange. Mundo afora, há leis de alcova tão ou mais estranhas como a sueca.

Conheça algumas:

➢ Na ilha de Guam, colônia norte-americana na Micronésia, no oeste do oceano Pacífico, há homens cujo emprego integral é viajar pelo país para deflorar virgens, que pagam pelo privilégio de ter sexo pela primeira vez com esses “profissionais”. Pelas leis de Guam, as mulheres são proibidas de se casarem virgens.

➢ Existe uma lei islâmica reconhecida na maioria dos países do Oriente Médio: “Depois de ter relações sexuais com um carneiro, é pecado mortal comer sua carne”.

➢ No Líbano, os homens podem ter relações sexuais com animais, mas os animais devem ser do sexo feminino. Relações sexuais com machos são puníveis com a morte.

➢ No Bahrain, um medico pode examinar a genitália feminina, mas é proibido de olhar diretamente para ela durante o exame. Ele só pode ver seu reflexo em um espelho.

➢ Em Hong Kong, uma mulher traída pode legalmente matar seu marido adúltero, mas deve fazê-lo apenas com suas mãos. A amante do marido, por outro lado, pode ser morta de qualquer maneira.

➢ Em Santa Cruz, na Bolívia, é ilegal um homem ter relações sexuais com uma mulher e sua filha ao mesmo tempo.

➢ Em Cali, na Colômbia, uma mulher só pode ter relações sexuais com seu marido se, na primeira vez que isso ocorrer, sua mãe estiver no quarto para testemunhar o ato. 

➢ Em Romboch, Virginia, é ilegal a atividade sexual com as luzes acesas. 

➢ Os muçulmanos não podem olhar os genitais de um cadáver. Isto também se aplica aos funcionários da funerária. Os órgãos sexuais do defunto devem estar sempre cobertos por um tijolo ou pedaço de madeira. 

➢ A penalidade para a masturbação na Indonésia é a decapitação.

Como se vê, sexo é questão cultural. Alguns países são mais liberais, outros menos. O que impressiona é saber que, passada a primeira década do século 21, com surpreendentes avanços em todas as áreas do conhecimento humano, boa parte da humanidade ainda considere o sexo algo pecaminoso, proibitivo e sujo.

Claro, são necessárias leis que condenem os abusos. Mas sexo é apenas... sexo. Um entre dezenas de outros “acessórios” que formam a complexa “arquitetura humana”.

Do mesmo modo que a gente come, bebe, ri, chora, reza, pensa, caga, ama, a gente faz sexo. Por prazer ou para procriar, não importa. Hétero ou homo, também não importa.

É sexo. Só isso.

E qualquer "escândalo" referente ao ato sexual, para mim, é fazer muito barulho por nada. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário