domingo, 23 de janeiro de 2011

Os templos de Kyoto

Da série Crônicas Nipônicas

Kinkaku-ji, ou Pavilhão Dourado, em Kyoto

Antiga capital do Japão, Kyoto é a cidade dos templos, dos samurais e das gueixas.

Se a tecnologia e a cultura pop são as principais marcas de Tokyo, a atual capital, Kyoto é conhecida por manter a cultura japonesa mais tradicional. São mais de 2 mil templos budistas e xintoístas. Por isso, não se espante se, ao caminhar pela cidade, encontrar um templo em cada esquina.

Eu e JK permanecemos dois dias na cidade. O suficiente para conhecer algumas das mais belas construções arquitetônicas do Japão, como o Kinkaku-ji – ou Pavilhão Dourado – com suas paredes externas folheadas a ouro, e o Kiyomizu-dera, templo construído na encosta de uma montanha.

Frente de loja em Gion, o bairro das gueixas em Kyoto

Gion é o bairro da gueixas. E antes que você pense que o lugar é um prostíbulo a céu aberto, aprenda que gueixa não é puta. São espécie de artistas: cantam, dançam, seduzem, flertam. Mas os homens que frequentam as famosas casas de gueixas de Kyoto sabem que o encontro não irá passar disso.

Xintoísmo e budismo são as religiões predominantes no Japão. Em todos os templos, existem altares onde as pessoas fazem pedidos e jogam moedas em caixas de madeira como oferenda. O comércio religioso no país é forte. Para cada pedido há um preço. E os mais diversos suvenires são vendidos na saída.

Cerimônia xintoísta em templo de Kyoto

Em um dos templos, eu e JK ainda participamos de uma cerimônia religiosa onde um grupo de monges entoava belos e harmoniosos cantos. Embora a gente não estivesse compreendendo bulhufas daquele ritual, senti uma paz profunda, quase celestial.

Acho que é isso que importa, não? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário