quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

A vida depois dos 80

Da série Crônicas Nipônicas

Senhora no metrô de Kyoto

É impressionante o vigor físico dos velhinhos e velhinhas japoneses. Para onde quer que você olhe, lá estão eles: no ônibus, no metrô, nos trens, na rua.

Sempre sozinhos, independentes, caminhando com passos velozes ou pacientemente vagarosos, carregando sacolas de supermercado, passeando ou “voando” sobre duas rodas em suas bicicletas.

É lindo de ver!

E me fez pensar que o Japão deve ser o melhor lugar do mundo para envelhecer. Lá, os idosos são respeitados.

Um desses velhinhos me comoveu bastante. Ele caminhava bem lentamente, com a ajuda de uma bengala, pela estação de metrô. Em outro post, falei como são as estações de metrô no Japão: gigantescas e quilométricas. Mesmo assim, o velhinho seguia seu caminho firme e forte, sem a ajuda de ninguém.

Dizem que a alimentação japonesa é uma das mais nutritivas e balanceadas do planeta. Isso deve explicar, em parte, a saúde invejável desses velhinhos do balacobaco. Outra razão, segundo o Ministério da Saúde local, é a melhoria no tratamento médico das três doenças que provocam mais mortes no país: câncer, problemas cardíacos e apoplexias.

Não por acaso, o Japão é a nação com a maior expectativa de vida do mundo. No caso das mulheres, fantásticos 86,44 anos, segundo dados de 2009.

É a tal da qualidade de vida, meu caro. E não se deixar abater – nunca! – pelo peso da idade e pelas inevitáveis rugas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário