domingo, 27 de fevereiro de 2011

Na praia, espiando...

Você espia?

A atriz e poetiza Elisa Lucinda tem um poema chamado "Pau de Aurora" que começa assim: "Olho na praia os homens e seus paus". Não sei se as mulheres, como Lucinda, têm o costume de espiar "a mala" dos homens - na praia ou em qualquer outro ambiente. Ei, mulheres, vocês espiam?

Entre homossexuais, essa espiada faz parte da "azaração". Existem até blogs dedicados ao tema. No mundo gay, como já escrevi aqui, quase tudo gira em torno das dimensões do pênis. Por isso, os olhares logo se desviam "para baixo", tentando adivinhar a "surpresa" escondida dentro do "Kinder Ovo" mais próximo.

Há também o apelo fetichista: homens de sunga ou de cueca são objetos do desejo erótico de muita gente. Como diz Elisa Lucinda em seu poema: "Gozo de ver na praia os homens e seus paus". Se há quem goze se fantasiando de animal (Furry Fandom), por que não entre os "varões" que se exibem na praia?   

Leia o poema. É bem bacana.

Pau de Aurora
Elisa Lucinda

Olho na praia os homens e seus paus
os homens bons
os homens maus...
Meus Adãos...!
Olho-os todos
meus olhos pincelam seu real
seu genital
seu principal
suas surpresas
Os ricos
Os pobres
Os moles
Os duros
Os puros
Os palhas
os nobres e os canalhas.
Varas de condão
meu irmão, meu tesão
sua boba mão
sua corcunda
seu porte belo
seu amor sincero
sua mão na bunda
Ah, alegria vindoura
Meu sacro-saco
Travesseiro morno, manjedoura.
Meus olhos namoram os homens
pisando pés na areia
banhando-se
exibindo-se
se encervejando todos.
Os príncipes
os sérios
os sábios
os malucos
os síncopes
os sãos
os eunucos.
Olho na praia os homens e seus paus
suas charlas
suas cantadas
suas caras
de pau.
Barbas crescendo
barbas feitas
barbas mal escanhoadas
barbas caprichadas
barbas bem-feitas.
Escuto os homens com suas másculas fofocas:
os patrões, os empregados
as aulas, as produções
o time bárbaro
o gol que deveria ter sido
o amigo enrustido
aquela que comi
aquela que não quis me dar
o pai herói.
Não dói.
Gozo de ver na praia os homens e seus paus
as olhadas
as investidas
as brochadas
os tamanhos
as disputas, os enchimentos
a tática.
Ah meus amores, não importa
o tamanho da varinha de condão
importa é a mágica!
Ah meu querido, meu gato
eu nem vou discutir
porque eu não tenho saco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário