sábado, 19 de fevereiro de 2011

O carnaval e as Ivetes

Ivete Sangalo no carnaval de Salvador

Daqui a alguns dias, 2011, enfim, começa.

Antes, porém, seremos bombardeados impiedosamente pelo “bumbum praticumbum prugurundum” das escolas de samba, pelo acarajé elétrico das baianas sacolejantes, pela gritaria histérica dos foliões descamisados.

Durante quatro dias, o Brasil para. Ou melhor: se transforma. Vira comercial de cerveja. A felicidade bêbada se espalha por ruas, avenidas, praias e elevadores. Fuzarca! Todos de fundilho à mostra, contagiados pelo clima de "tchubirabiron", pelo rebolado da mulata Globeleza, pela sensação de que o mundo vai acabar na Quarta-feira de Cinzas.

É no Carnaval que o Brasil mostra a sua cara. Somos o que somos: multidão descontrolada e analfabeta cheirando a xixi, suor, vômito e cachaça. “Ai, que delícia!”, exclamaria a socialite-escritora.

Bichas frufru, meninas de umbigo de fora, rapazotes anabolizados. Mulatas samba no pé, velhos bolinadores, senhoras de cabelo caju atônitas e escandalizadas. É Carnaval. É bacanal. É pegação. É hora de pegar o primeiro avião para o Afeganistão.

Carnaval é opressão!

Cantam por aí que “quem não gosta de samba bom sujeito não é”. Para reforçar a exclusão, fuxicam que “atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu”. Querem carnavalizar até quem não engole confete. Mas resistiremos até o fim ao gemido da cuíca, ao rego saracoteante das Ivetes e à ilusão de que somos um povo feliz.

Sou do bloco do eu-sozinho. Por isso, vá batucar sua alegria flatulenta em outro terreiro. 

2 comentários:

  1. Vc viu?...é isso que sustenta esse povo,
    é a mediocridade explícita e inebriante que assola mentes atordoadas.
    Isso é erva daninha que se espalha e para não
    sermos engramados (palavra nova!!rs..) por ela temos que procurar um esconderijo bem longe...!..rs..
    namaste!

    ResponderExcluir
  2. "Alegria flatulenta"... Meu Carnaval já valeu a pena por conta dessa imagem... Valeu, Marcos!

    ResponderExcluir