quinta-feira, 10 de março de 2011

Liberte-se do supérfluo!

Ilhabela

Foram cinco dias off-line. Tempo suficiente para “higienizar” a cabeça e revigorar o corpo.

Sem TV e internet, com o celular desligado, percebi que o mundo se torna um lugar muito mais agradável. A conversa flui sem interrupções. As horas passam sem pressa. As atenções são concentradas nas pessoas e coisas que estão perto de você.

Que importância tem saber qual escola de samba venceu o Carnaval 2011 ou quem foi eliminado do “Big Brother Brasil” quando podemos rir com os amigos, tomar banho de cachoeira e deixar o pensamento vagar movido por deliciosa preguiça?

De tempos em tempos, acho que precisamos nos desligar da “convivência eletrônica”, deixar pra lá as grandes discussões e as pequenas fofocas do dia a dia – e nos fechar no nosso “mundinho” particular. É nele que somos um pouco mais felizes. É nele que a vida faz algum sentido. É nele que está o essencial.

Afinal, de que adianta ter um milhão de seguidores no Twitter, outro milhão de “amigos” no Facebook ou no Orkut, se não valorizamos quem está ao nosso lado, a meio palmo de distância de um abraço reconfortante?

A TV, a internet, o celular nos conecta ao mundo. Mas é a conversa descontraída olho no olho, o riso à toa, o contato com a natureza que nos esvazia do excesso de “quinquilharias” que vamos acumulando sem perceber.

Desconectar-se, mesmo que por pouco tempo, é se libertar do supérfluo. 

2 comentários:

  1. sim sim sim sim sim! fiz na prática, e a sensação foi a mesma...

    ResponderExcluir