quinta-feira, 10 de março de 2011

A segunda vez (por Drika)

Depressão: depoimentos*

Olá. Meu nome é Drika. É a segunda vez que me deparo com a depressão. Na primeira vez que comecei a sentir os sintomas, nem me passava pela cabeça que seria a tal doença do século. Logo eu que me achava uma pessoa forte, centrada, capaz, dona das minhas emoções e vontades com depressão??? Não, nunca. Isso só acontece com os outros! Engano meu. Estava sim com depressão. Carregava uma carga maior do que podia suportar. Foi muito difícil aceitar. O médico precisou me convencer que eu deveria pisar no freio. Meus sintomas não eram comuns. Eu não conseguia falar uma frase inteira tamanha era minha ansiedade. Queria fazer tudo de uma vez, chorava com facilidade e, por vezes, me tornava agressiva. Aceitei o tratamento, fui afastada por 15 dias. Melhorei e tudo bem. 

Recentemente tive outra crise. Dessa vez a tristeza tomou conta de mim. A vontade de não viver mais era meu pensamento. Retornei ao psiquiatra. Agora meu caso era muito mais grave. Ele me receitou Exodus e me afastou do trabalho por 30 dias. Tomei somente meio comprimido. As reações foram tantas que não tomei mais. 

Resolvi que me trataria sem medicamentos. Pesquisei alimentos, atividades e tudo que melhore essa droga de depressão. Lembrei que há muito tempo me consultei com um neurologista. Nessa época eu já estava com deprê, mas não sabia. Ele me receitou um aminoácido chamado L Triptofano. Mandei manipular e estou tomando. Hoje, não posso dizer que estou 100%, mas tenho muita força de vontade. Quase não choro. Mas às vezes ainda sinto aquele nó na garganta e moleza nas pernas. Penso muito e, pensando, me deparei com a realidade: temos que enfrentar os problemas, querendo ou não. Pois viver é passar por situações agradáveis e desagradáveis. De uma coisa eu tenho certeza: não quero ficar dependente desses medicamentos que nos tornam verdadeiros robôs. Quero deixar bem claro que os antidepressivos são ótimos remédios. E se o médico receitou... não faça como eu fiz!!! 

Força a todos que padecem desse mal. Que a recuperação seja breve e que a nomalidade volte a cada um. Abraços e fiquem com Jesus.

**********
* Se você quiser dividir suas experiências depressivas com outros leitores deste blog, envie seu texto para o e-mail mguinoza@gmail.com.
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário