quinta-feira, 24 de março de 2011

Todo mundo nu

Foto de Spencer Tunick

Quer protestar? Tira a roupa... É “artista” e quer causar polêmica? Tira a roupa... Quer chamar a atenção da mídia? Tira a roupa...

Em nome da paz mundial, Yoko Ono, anos antes de conhecer John Lennon, chocou o Japão com performance em que entrava em cena vestindo uma bata branca e distribuía tesouras ao público, convidado a recortar pedaços da sua roupa até que ela ficasse totalmente nua. Era 1964, e a nudez como forma de arte-protesto ainda fazia sentido.

Hoje, não mais. E não é porque o corpo perdeu o apelo. É porque a nudez virou lugar comum, "a casa da mãe Joana".

Peitos à mostra contra o uso de casacos de pele. Bundas de fora para defender o planeta do aquecimento global. Sem falar nos “artistas” que acreditam que performance é sinônimo de ficar pelado e fazer alguma coisa, qualquer coisa.

O fotógrafo Spencer Tunick, por exemplo, é conhecido por juntar milhares de pessoas nuas em cidades de várias partes do mundo. Sinceramente, não entendo qual o objetivo de Tunick com isso. Mas é da multidão sem roupa que ele retira sua “arte”, e já esteve no Brasil, onde desnudou centenas de paulistanos no Parque do Ibirapuera.

Acho essa banalização do corpo nu meio brochante. Resultado desse momento histórico em que todo mundo quer “causar”. Para isso, opta-se pela polêmica fácil da nudez. Repare: de tempos em tempos, aparece no noticiário um bando de peladões protestando contra isso ou aquilo. Ou algum bobo “fazendo arte” com a sua bunda de fora.

Não pense que sou um papa-hóstia. Longe de mim censurar a “sem-vergonhice” de quem quer que seja. Apenas acho mais interessante manter o corpo como objeto erótico do que ver gente pelada andando de bicicleta.  

Que escândalo ainda há nisso, hein?

4 comentários:

  1. Não concordo com o texto, o objetivo do protexto
    é chamar a atenção, e querendo não , acabam atingindo o que querem, e a sociedade acaba refletindo sobre o tema!

    ResponderExcluir
  2. acho tao comum ficar nu,eu mesmo ja fiquei em publico. Deviam ser mais criativos porque isso nao chama mais muita atencao.

    ResponderExcluir
  3. eu adoro esse tipo de arte do Tunick, pois não agride.

    ResponderExcluir
  4. Achei o texto bem tendencioso! Sou artista plástico e não concordo com suas críticas mal fundamentadas! Procure pesquisar e se informar mais, talvez lendo livros como o do autor Henri-Pierre Jeudy, "O Corpo Como Objeto De Arte", por exemplo, e você terá mais argumentação pra criticar quem utiliza a nudez em seus trabalhos de arte!

    ResponderExcluir