quinta-feira, 7 de abril de 2011

Iris Apfel: “Odeio coisas que combinam”

Iris Apfel

Iris Apfel tem 89 anos. Nasceu em Astoria, Queens, NY, em 29 de agosto de 1921. Iris Apfel é designer de interiores e referência no mundo da moda. Mas avisa: “Eu me visto para mim. Unicamente para mim. Espero que as pessoas gostem. Mas, se não gostarem, o problema é delas, não meu”. Atrevida. Sabe o que quer.

O pai trabalhava na fábrica de vidros e espelhos da família. A mãe era dona de uma butique. Quando Iris tinha 4 anos, armou o maior fuzuê porque a fita de cabelo escolhida pela mãe não combinava com o seu vestido. Depois mudou. Hoje, seu conceito é outro: “Odeio coisas que combinam”.

Iris Apfel mistura, embaralha, surpreende, subverte os códigos da moda com olhar apurado. Olhar emoldurado por óculos gigantes de aros pretos, sua marca pessoal e intransferível. Lembra a designer Edna E. Mode, do desenho animado Os Incríveis: “Gosto deles bem grandes”.

Ainda pequena, Iris era provocada pela mãe a procurar/remexer pechinchas pelas lojas. Esse faro fino para encontrar “achados” permaneceu com ela, é parte determinante da sua expressão visual. “Se você comprar em lugares pouco comuns, vai sair em busca de um casaco de neve e voltar com um biquíni.”

No início da década de 1950, ela e o marido, Carl, fundaram a Old World Weavers, renomada empresa de tecidos de decoração e de reprodução de padronagens antigas. Teve como clientes Greta Garbo e Estée Lauder. Também assinou projetos de decoração e restauração para a Casa Branca durante o mandato de vários presidentes.

Foi a partir dessa época que o casal começou a viajar por Europa, África, Oriente Médio e Ásia. Nesses trajetos, a descoberta dos acessórios: “Sem acessórios eu estaria perdida. Eles têm o poder de mudar inteiramente um look”. Assim, Iris resolveria revolucionar o seu guarda-roupa. Passou a combinar modelos de alta-costura de seus estilistas favoritos – Norman Norell, Pauline Trigère, Sydney Gittler, Balenciaga, Ben Zuckerman, Bill Blass, Oscar de la Renta – com peças compradas em brechós e bazares da Turquia, Tunísia, Marrocos e pontos remotos do planeta.

Resultado: Iris Apfel inventou um estilo inquieto, provocativo, livre de tendências e convenções estéticas.

Em 2005, a designer foi tema de uma importante exposição no Metropolitan Museum, em Nova York. A mostra, intitulada “Rara Avis: Selections from the Iris Barrel Apfel Collection”, expôs parte do seu acervo pessoal. E causou.

Iris Apfel virou ícone global indicado pelo WGSN (o mais importante site de pesquisa de tendências do mundo), nomeada para a lista “Best International-Dressed Vanity Fair”, musa de coleção do estilista Jason Wu (o preferido de Michele Obama) e tema do livro A Rare Bird of Fashion: The Irreverent Iris Apfel (Thames & Hudson, 2007).

Mas Iris Apfel ri do “hype”. Acha divertido o assédio dos fashionistas ao seu jeito casual-chic-explosivo de se vestir. “São mais jovens, mas muitos estão mortos do pescoço para cima.” Para essa mulher abusada, a vida deve ser encarada com humor e fantasia: “Tudo é cinzento lá fora. Então, você pode se divertir um pouco com o que tem”.

Essa é Iris Apfel: o avesso da moda, a moda do avesso, ser em constante movimento.

**********

Iris Apfel ensina: 1) Nunca leve o seu visual a sério demais. Nem a você mesmo; 2) Não entre em pânico com a sua idade; 3) Divirta-se; 4) Viaje muito; 5) Vá do high ao low; 6) Visite o reino animal 

**********

Texto publicado originalmente na revista ffwMAG!

5 comentários: