terça-feira, 5 de abril de 2011

A testemunha

Polícia para quem precisa

Acho que nunca saberemos quem é a mulher que acionou o 190 assim que presenciou o assassinato de um homem por dois policiais militares dentro de um cemitério de SP.

Além de informar a placa e o prefixo da viatura para o atendente do 190, a mulher ainda bateu boca com o policial assassino:

Mulher – “Oi, desculpa, o senhor que estava naquela viatura? O senhor que acertou o disparo ali?”

PM – “Eu estava socorrendo...”

Mulher – “Estava socorrendo? Meu senhor, olhe bem para a minha cara...“

Mulher para o 190 – “Ele falou que estava socorrendo. É mentira”.

Os dois policiais estão presos, respondem a inquérito por suspeita de homicídio e podem ser expulsos da PM. A mulher está sob proteção.

A notícia quase passou batida pelo noticiário escrito. A “Folha”, por exemplo, nem deu chamada de primeira página para o caso.

Talvez os editores do jornal considerem a ocorrência banal. Eu penso exatamente o contrário. Acho emocionante a atitude corajosa dessa mulher. Quantos de nós agiríamos com a mesma audácia, hein?

A mulher podia se calar, fingir que nem estava ali e seguir em segurança para casa. Afinal, por que colocar a vida em risco por um desconhecido?

É assim que a gente costuma agir todos os dias, tapando os olhos para as barbaridades e injustiças que ocorrem ao nosso lado.

A mulher não se acovardou. Reagiu.

E, nós, acostumados com a servidão, continuamos aqui, com a nossa "bravura" indômita e tagarela, combatendo o “mal” pelo Twitter.

Um comentário:

  1. essa mulher é uma imbecil, tinha que morrer junto com esse otário, esses policiais, heróis de verdade tinham que ter matado ela também, bandido tem que morrer, ninguém gosta de policial, todos são um lixo assim como essa imbecil que denunciou esses heróis, o povo tem que sofrer mesmo, defendem o bandido e ficam contra a policia!

    ResponderExcluir