sexta-feira, 15 de abril de 2011

Velhos amigos

Robert Mapplethorpe e Patti Smith

Ao finalizar a leitura de “Só Garotos” (Companhia das Letras, 2010), livro em que Patti Smith narra sua emocionante amizade com o fotógrafo Robert Mapplethorpe, lembrei dos meus amigos de adolescência. Eram muitos, com quem jogava bola, ouvia rock, tocava violão, enchia a cara, viajava, dividia revistas pornográficas e planejava o futuro. O tempo passou. Eu envelheci. E esses amigos simplesmente viraram pó.

Não sei onde estão. O que fazem da vida. Se estão vivos ou mortos. Perdemos contato. Ou melhor: acho que perdemos o interesse um pelo outro.

Dizem que amizades verdadeiras sobrevivem à distância e ao tempo. Pode ser. Mas não existe amizade que resista à falta de assunto.

Cheguei a reencontrar alguns desses amigos depois de anos. Ensaiamos uma reaproximação. É sempre bom abraçar velhos conhecidos. O problema é que após meia hora de conversa sobra só o silêncio, o estranhamento, o descompasso entre vidas que seguiram caminhos diferentes.

Patti Smith e Robert Mapplethorpe tinham o mesmo objetivo: ser artistas. Por isso, continuaram juntos, compartilhando os mesmos interesses. Mas e quando você reencontra um amigo que mantém o mesmo papo de 20 anos atrás? E quando outro amigo virou “pai de família”, tem cinco filhos e nada mais faz além de engordar e assistir TV?

Desculpa aí, mas eu estou em outra, tá?

Não sei em que momento essa ruptura acontece. Comigo, acho que começou quando me mandei para o Japão. Ao voltar, cinco anos depois, tudo estava igual, menos eu. Eu queria seguir em frente, estudar, escrever, me mudar para São Paulo. E foi o que fiz: caí fora. Conheci outras pessoas. Fiz novas amizades.

Meus velhos amigos, com o tempo, foram se desintegrando na minha memória. Às vezes, até tenho vontade de procurá-los. Mas prefiro evitar o constrangimento de não ter o que dizer. Guardo comigo as lembranças, as boas lembranças. 

Acho que está bom assim.

2 comentários:

  1. É isso aí, Marcos. Amigo não é arquivo-morto. E a gente tem todo o direito de mudar. Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Gosto muito de como você evolui! Se os outros não são tão espertos, paciência ;)
    Amigo, mesmo, é aquele com quem a gente se identifica ;)

    Boas mudanças!!!

    Beijos!!!

    ResponderExcluir