sexta-feira, 27 de maio de 2011

A invenção da heterossexualidade

Na Grécia não existiam palavras para designar "homossexualidade" e "heterossexualidade"

Navegando pela web, encontrei um texto do psicanalista Jurandir Freire Costa publicado no extinto caderno Mais!, da “Folha”, em 01 de maio de 1994. O texto analisa o livro “A Homossexualidade na Grécia Antiga”, de K.J. Dover.

Neste momento em que “bolsonarossauros” e a cambada evangélica arrefecem seus ataques homofóbicos, defendendo a ideia imbecil de que “natural é ser heterossexual”, reproduzo três trechos bastante didáticos do texto de Freire Costa.

Entenda (de uma vez por todas!):

→ Na Grécia não existiam palavras para designar o que chamamos de "homossexualidade" e "heterossexualidade" porque simplesmente não existia a idéia de "sexualidade". A sexualidade é construção cultural recente, como mostrou Foucault. No mundo helênico havia um eros múltiplo, heterogêneo, sem contrapartida no imaginário de hoje. Assim, o eros da "pederastia", por princípio, era virtuoso, ao contrário da "homossexualidade" contemporânea, tida como vício, doença ou perversão, desde que foi INVENTADA pelas ideologias jurídico-médico-psiquiátricas do século 19.

→ Foi a partir do momento em que a família nuclear organizou-se em torno das figuras do homem-pai; da mulher-mãe [...] que todos os indivíduos do mundo passaram a dividir-se em "heterossexuais" e "homossexuais" e esta divisão passou a tornar-se "natural" e "evidente por si mesma". Desde então, médicos, psiquiatras, higienistas, pedagogos, juristas, moralistas, psicanalistas e a "vox populi" começaram a caça à "homossexualidade" escondida ou manifesta dos "homossexuais", descobrindo-a em "estruturas"; "disposições"; "traumas" ou em qualquer outra invenção estapafúrdia, plausível aos olhos do preconceito.

→ Para quem ainda não está totalmente convertido à cultura do sexo-rei, com suas homossexualidades, heterossexualidades e bissexualidades, a leitura deste livro fascinante [A Homossexualidade na Grécia Antiga] é obrigatória.

**********

Nenhum comentário:

Postar um comentário