quarta-feira, 4 de maio de 2011

Tenho medo do Drauzio Varella

Drauzio Varella

Desde 2009, quando o governo de São Paulo aprovou a Lei Antifumo e o Drauzio Varella surgiu num comercial de TV apoiando a iniciativa, o médico me atormenta com as suas “aparições”. Drauzio virou espécie de “encosto”, oponente encardido do meu “diabinho particular”. Basta eu acender um cigarro e lá vem ele, cheio de boas intenções, assombrar as minhas baforadas com informações aterrorizantes:

“Existe uma doença, exclusiva de fumantes, que obstrui as artérias das extremidades e provoca necrose dos tecidos; o doente perde os dedos do pé, a perna, o pé, uma coxa, depois a outra, e fica ali na cama, aquele toco de gente, pedindo um cigarrinho pelo amor de Deus”.

Caraca! O Drauzio consegue ser mais assustador que aquelas imagens horrendas impressas nas embalagens de cigarro!

Em sua última “aparição” no “Fantástico” o médico discorreu sobre diabetes. E, mais uma vez, aterrorizou: “o diabetes é uma das principais causas de derrame, ataque cardíaco, insuficiência renal e amputação de membros [...] e, muitas vezes, aparece de forma silenciosa, quase imperceptível”. Ai, ai, acho que esse tipo de reportagem devia ser proibido de ser veiculado nas noites de domingo, quando já estamos bastante fragilizados pelos excessos cometidos no fim de semana.

Drauzio Varella é escritor premiado. Seu livro, “Estação Carandiru” (Companhia das Letras, 1999), recebeu o prêmio Jabuti na categoria não ficção e, em 2003, foi adaptado para o cinema pelo diretor Hector Babenco. O sucesso editorial o transformou em médico-personalidade. É Drauzio, hoje, o mais destacado “mensageiro” das más notícias sobre a nossa saúde. Só de vê-lo na TV, já sinto calafrios.

Mas não pense que duvido da capacidade profissional do “Doutor Fantástico”. Muito pelo contrário. É justamente por acreditar na seriedade de cada palavra que ele diz ou escreve que suas “aparições” me tiram o sono.

Drauzio e diversos outros “especialistas” das mais diferentes áreas que, de uns tempos pra cá, “invadiram” a mídia são produtos desta nossa época. A época mais consciente da história, quando somos bombardeados sem dó com “avisos de perigo”: não pode isso, não pode aquilo; siga sendo “irresponsável” por sua conta e risco.

A consequência de tanta informação é uma só: a chatice. Afinal, bem informados nos tornamos cautelosos. E quem sabe demais e resolve eliminar de vez o sal e o açúcar da sua dieta, acaba virando um “saudável”, a espécie mais entediante já “inventada” pela humanidade. O “saudável”, para quem não sabe, é aquele tipo de pessoa que não come, não fode, não socializa sem antes higienizar as mãos com álcool gel. Esses malas, por culpa dos alertas do Drauzio, podem viver até os 100 anos ou mais. Vão dominar a Terra.

Ok, o que o Drauzio faz é serviço de utilidade pública, capaz até de salvar vidas. Mas não é sempre que eu estou a fim de saber a verdade. Às vezes, quando ele surge na tela, prefiro mudar de canal e me idiotizar com o "Pânico na TV". 

6 comentários:

  1. e ai marcos, quer dizer que vc tá com medo do Drauzio?
    eu ri e muito ao ler o teu texto, a sua habilidade com as palavras é admirável.
    vou te contar uma história veridica, um cara que nunca fumou, morreu de cancer no pulmão, a minha amiga que sempre evitou comer gordura, e sempre recusou a convite de churrascos, teve um ataque cardiaco,quase fulminante.
    Enquanto que aqueles que comem churrascos, alimentos com excessos de gorduras e fumam como um cão estão ai vivinhos da silva, e gozando de muita saúde.
    Acho mesmo que tudo é muito relativo, vamos aproveitar todas as delicias que o mundo nos proporcionam, um dia todos nós vamos morrer, e como diz um amigo meu, se vamos morrer então vamos comer e fumar tudo o que desejarmos.
    Pois pelo menos morreremos de barriga cheia e felizes!
    Abraços meu amigo, e muito obrigado por abordar assuntos relevantes, que nos faz pensar sobre muitas coisas da vida!
    NAMASTÊ!

    ResponderExcluir
  2. Marcos.

    Até eu que não fumo e nunca fumei tenho medo dos sintomas " apocalipticos " anunciados pelo Drauzio.
    Tudo fica muito entendiante..muito light, muito diet.
    E eu " odeio coca light " para lembrar a composição do Zeca Baleiro.

    ( não anônima... mas patética )

    ResponderExcluir
  3. Ele é um chato, a voz dele me irrita e chego a questionar se foi ele mesmo quem escreveu "Estação..."

    Quando ele aparece com aquela aparência de enfermo terminal eu sinto vontade absurda de acender um cigarro e baforar forte só para contrariar rs...

    Vão ser saudáveis lá bem longe de mim.

    ResponderExcluir
  4. Marcos,
    Eu hoje estou tendo uma crise Drauziana!
    Nao aguento mais esse homem, meu Deus!
    Hoje pela manhã, assistindo Ana Maria Braga, a pseudo loura conseguiu acabar com meu dia, dizendo que EU TAMBÉM sou responsável pela destruição da terra, por causa das BITUCAS que eu e mais de um bilhao de terráqueos jogamos por aí! Afinal de contas, todos os cinzeiros da cidade foram retirados de tudo quanto é lugar, inclusive dos carros que compramos...
    O que ela esqueceu de falar é que:
    - para pintar suas lindas madeixas louras, alguns dos produtos quimicos usados na confecção das colorações, sao de origem minerais... Minerais, mineracao, meio ambiente! Quantos bilhões de seres humanos usam colorações? Sem contar que depois, toda essa coloração usada, vai ralo abaixo... Ora, será que é menos ou mais poluente que as minhas BITUCAS? Melhor ela ficar ou careca ou grisalha... ela nao vai querer...
    - A maquiagem que ela usa? Qual a origem??
    Eu poderia fazer uma lista enorme de tudo que ela faz que detona o meio ambiente, mas... Meu nome... é apenas Leonardo Lima! Nao sou Drauzio Varella nem Ana Maria Braga...
    Enfim... palavras, o vento leva...

    ResponderExcluir
  5. Só que o Druazio incentiva a vacina H1n1 e não coloca os seus efeitos colaterais gravissimos, os quais ele logicamente conhece. Acho o Druzio um vendido.

    ResponderExcluir
  6. Amigo, Drauzio Varella é um dos maiores charlatões da " intelectualidade " brasileira. Já disse até que o crime é obra da "direita", que a religião é que permite o aumento da AIDS (aham, quando a AIDS surgiu a partir da comelança generalizada), e critica religiosos ao mesmo tempo que prega o ateísmo como coisa de gente muito mais "avançada". Um empulhador de primeira.

    ResponderExcluir