terça-feira, 7 de junho de 2011

Os personagens gays de "Insensato Coração"

Rodrigo Andrade, o Eduardo de "Insensato Coração"

INSENSATO CORAÇÃO começou morna. Foi esquentando e, agora, está pegando fogo. A novela de Gilberto Braga e Ricardo Linhares é moderna, ágil, sem encheção de linguiça – assim como foram “A Favorita”, do João Emanuel Carneiro, e o remake de “Ti Ti Ti”, da Maria Adelaide Amaral. Tenho, porém, uma ressalva.

Logo que “Insensato Coração” estreou, falaram muito sobre os personagens gays da trama. De fato, são vários: Roni (Leonardo Miggiorin), Eduardo (Rodrigo Andrade), Nelson (Edson Fleschi), Hugo (Marcos Damigo) e Xicão (Wendel Bendelack). Ainda passaram pela novela outros dois: Araci, personagem da Cristiana Oliveira, e um editor de jornal do qual não lembro o nome.

Ok, é legal ver tantos personagens gays inseridos no folhetim global. Mas quem são esses personagens? Onde estão as suas histórias, os seus dramas?

O promoter Roni é o que mais aparece, mas nada faz além de servir de “escada” para Natalie Lamour (Deborah Secco). Nelson, Hugo e Xicão surgem raras vezes na tela. Sobra Eduardo, que, talvez, seja o único com uma “história pra contar”. Ele está se descobrindo gay e deve vivenciar a complicada experiência de “sair do armário”. Eduardo é filho de Sueli (Louise Cardoso), dona de um quiosque frequentado pela turma colorida.

Fora isso, há vários diálogos e situações em que a homossexualidade é apresentada. Quase sempre de maneira positiva. Às vezes, até didática. O contraponto é Kleber, o personagem homofóbico vivido por Cássio Gabus Mendes – e achincalhado por todos devido ao seu jeito “homem das cavernas” de pensar.

“Insensato Coração” levou ao ar o primeiro galã negro da telenovela brasileira: Lázaro Ramos no papel do "irresistível" André. Não sei se um dia chegaremos lá. Mas imagino o primeiro personagem gay entre os protagonistas de uma novelacom história própria e relevância na trama principal. Pode até ser um vilão bem mau e charmoso como o Leo de Gabriel Braga Nunes. Aí, sim, os gays vão deixar de ser "recheio" para virar "cobertura".

4 comentários:

  1. Eu estou botando fé que a história do Eduardo com o Hugo deve render algumas cenas bacanas. Já li que eles vão namorar muito, sair juntos, e o Hugo vai fazer o Eduardo entender que é possível ser feliz com outro homem.
    Muque de Peão

    ResponderExcluir
  2. Não é só na novela que isso acontece.
    Em séries televisivas os gays também costumam aparecer de maneira ligth.
    São sempre bonzinhos,politicamente corretos.
    TAmbém acho que a novela acelerou.
    Só que acelerou demais!!!!!!!!!!
    Tá tudo muito rápido.
    Perdeu um capítulo e a gente já fica por fora.
    Mas sem dúvida está sendo a melhor dentre as últimas xaropices exibidas no horário das 9h.

    ResponderExcluir
  3. Gente, a trama de Eduardo e Hugo estava legal até naquela cena da Barão da Gamboa onde o Eduardo tomou um porre. A sequência seria o beijo no carro, mas foi cortada pela globo...Depois apareceu o Hugo carregando o Eduardo até em casa, tipo não nostrou o desenrolar daquela situação incial e acabou ficando sem sentido...Agora quando assisto parece que será sempre assim...Os politicamente corretos, mas que não vivem a realidade...

    ResponderExcluir
  4. é nos seres humanos não devem jugar os gay foi eles que escolheram ser assim então devemos apoiar eles não ficar com preconseito quero muito ser feliz com alguém que mim ame vou procura pessoa que mi ame até o fim eu sendo gay ou não não devemos ser preconceituosos

    ResponderExcluir