domingo, 26 de junho de 2011

Você deixaria seu namorado ir sozinho à Parada Gay?

Ai, ai, acho que já vi esse filme...

Quem acompanha O Idiota Feliz! sabe: eu não vou mais à Parada do Orgulho Gay de São Paulo. Deixei de comparecer há alguns anos e, quando escrevi sobre isso, fui chamado sarcasticamente de “senhora recatada” por um leitor. De nada adiantou. Continuo pensando da mesma forma: a parada gay virou festa de rua bagaceira, onde um bando de gente errada se junta para requebrar a cintura e “expor a mercadoria” movida a “vinho” barato. (Post aqui).

Eu não vou. Mas, e quando o seu namorado quer ir? Qual a melhor decisão a tomar? Deixá-lo ir sozinho, com os amigos? Ou ir junto, contra a sua vontade?

Li no UOL que a 15a edição da parada, segundo os organizadores do evento, reuniu cerca de 4 milhões de pessoas entre 13h e 19h. É um mundaréu de gente. Agora, imagine que, desse total, metade seja formada por homossexuais masculinos. Isso daria 2 milhões de homens bêbados e excitados a fim de se “arrumar”. E o seu namorado lá, sozinho, dando sopa. Hum, bateu uma insegurançazinha aí, né?

Pois é. Falam que a parada é uma importante manifestação política em defesa dos direitos LGBTTs. Até pode ser. Para uns 20 gatos pingados. O resto – e bota resto nisso! – vai ao evento mais interessado na ferveção. E onde tem ferveção, acredite: sempre vai ter alguém de olho no seu namorado. Hum, bateu um ciumizinho aí, né?

Ok, ninguém precisa de parada gay para ser infiel. Para trair, basta um pneu furado. Mas deixar seu namorado ir sozinho num evento desse, onde as possibilidades de paquera chegam aos milhares, exige boa dose de desprendimento e uma confiança cega. Caso contrário, você vai vivenciar momentos terríveis de inquietação mental, fantasiando as mais absurdas cenas de traição envolvendo o seu parceiro.

Às vezes, essas cenas não passam de coisa da sua cabeça. Outras vezes... Bem, se o seu namorado foi sozinho à parada, você nunca vai saber mesmo. Então, melhor deixar pra lá, e recebê-lo com um carinhoso beijo quando ele chegar cheirando a suor e cerveja.

Lembre-se: foi você que o abandonou sozinho no meio do fuzuê. 

Um comentário:

  1. É necessário assumir o risco, e acredito que seja melhor deixar ir com amigos (de preferência com um que seja seu confidente)a tentar acompanhar e se aborrecer e estragar a diversão do outro.

    E depois daquela gente suarenta, molhada de chuva ele chega e te encontra cheirosinho só para ele, até que a "Parada" pode ser lucrativa.

    ResponderExcluir