quinta-feira, 14 de julho de 2011

A saia bem justa da Mônica Waldvogel

Elenco do "Saia-Justa", do GNT

Mônica Waldvogel, apresentadora do “Saia-Justa”, programa do GNT onde os participantes falam sem parar ao mesmo, disse ser contrária à criação de uma lei que criminalize a homofobia. Explicou-se assim: “O preconceituoso é um idiota. Ele não é um criminoso. É melhor que se deixe essas pessoas falarem bobagens em público e ter a paulada do debate em seguida. A lei encobriria a idiotia.”

Ok, essa é a opinião da Mônica Waldvogel sobre o assunto. E ela tem todo o direto de se expressar. Abaixo, rebato tudo que ela disse.

01. “O preconceituoso é um idiota. Ele não é um criminoso”
Sim, Waldvogel, o preconceituoso é um idiota. Mas ele só não é um criminoso ainda porque a lei não foi aprovada. E é exatamente isso que a militância LGBTT reivindica: transformar em crime o preconceito homofóbico. Entendeu? Ou preciso desenhar?

02. “É melhor que se deixe essas pessoas falarem bobagens em público e ter a paulada do debate em seguida”
Não, Waldvogel, não é melhor, não. Quem está falando bobagem é a senhora. Ou você, sentadinha em sua confortável poltrona, acha bobagens a incitação ao ódio praticada pelas igrejas e o assassinato de centenas de inocentes somente porque eles são gays?

03. “A lei encobriria a idiotia”
Não, Waldvogel, a lei apenas mandaria os criminosos para a cadeia e faria os idiotas pensarem duas vezes antes de agir com violência física ou verbal contra os gays. Acredite: a idiotia vai continuar existindo, inclusive em programas de TV supostamente inteligentes.

Pra finalizar, acrescento:

Embora, no Código Penal, já existam leis capazes de punir quem ofende, discrimina, espanca, mata homossexuais, é preciso que haja uma lei específica contra a homofobia para que os bárbaros saibam exatamente porque estão sendo castigados. Só assim essa cambada talvez aprenda, na marra, a respeitar a orientação sexual do outro.

Agredir é bem diferente de agredir por homofobia. No segundo caso, há uma motivação específica, e é essa motivação que deve ser criminalizada.

3 comentários:

  1. Vi esse programa e também estranhei a posição da Mônica.
    MAs realmente ele tem direito a expressar sua opinião.
    Quanto ao preconceito não ser criminalizado me pergunto se ela é contra a lei do racismo.
    É o mesmíssimo caso.Preconceito.
    SE eu chamar um negro de macaco eu posso ir para cadeia e se ofender um homossexual ok?
    Estranhei.

    ResponderExcluir
  2. A Mônica não é burra como a Myriam Rios. Deve ter sido um caso de curto-circuito neuronial passageiro. Algumas mulheres falam mais rápido do que pensam.
    Muque de Peão

    ResponderExcluir
  3. deixei de assistir este programa apos a saida da Fernanda Young e da Rita Lee. a coisa melhorou um pouco com a Ana Carolina, mas só! também nao é todo dia que a gente tem saco para ver TV sem som né, mesmo que seja só para ver o Du Moscovis =)

    ResponderExcluir