segunda-feira, 8 de agosto de 2011

a cabeça das pessoas

segunda-feira de sol. Acordei. Tomei meu café. Acendi o primeiro cigarro do dia. E acessei O Idiota Feliz! Na seção de comentários do blog, um leitor não identificado deixou uma mensagem que revela de maneira clara como funciona a cabeça das pessoas que não aceitam a homossexualidade por questões religiosas.

na mensagem, o leitor diz que sou “pouco informado”. Escreve que “o ânus não é um órgão sexual” e que a prática do sexo anal “traz terríveis consequências para os seres humanos” (viu, Sandy!). Depois, pede para eu “cair na real”, afirmando que este blogueiro tem “problemas espirituais” e que precisa “ser liberto”. Deus, segundo ele, teria o poder de me “libertar”.

o leitor pergunta: “Você nasceu com pênis e vagina?”. Em seguida, conclui seu confuso raciocínio: “Se a homossexualidade fosse normal, todos os seres vivos desempenhariam as duas funções, a do macho e a da fêmea”. Finaliza a obscura mensagem da seguinte forma: “Vai estudar, vai se informar. Vai ler a Bíblia”.

em nenhum momento o leitor me xinga, como já aconteceu diversas vezes neste blog. Por isso, mesmo discordando veemente de tudo que ele escreveu, mantive o comentário no post intitulado Ser gay é normal.

depois de ler a mensagem, percebi o óbvio: a não ser que Deus, em pessoa, apareça para o jantar e explique aos seus fiéis que a homossexualidade é uma variação normal da expressão sexual do ser humano, nada vai fazer esse leitor mudar de ideia. 

Para ele, temos “problemas espirituais”. 
Simplório assim. E qualquer argumentação contrária seria como discutir com um tijolo.

a fé, na maioria das vezes, cega as pessoas. Essa cegueira gera desinformação. E é a desinformação que alimenta o preconceito. Mas eu duvido que esse leitor aí tenha consciência disso. Ele, na verdade, crê no papai-e-mamãe como única possibilidade de gozo. E sua crença o impede de enxergar o mundo à luz da razão.

para acabar com o preconceito, precisamos acabar primeiro com a ignorância que precede o preconceito. Acho que matar Deus seria um bom começo.

5 comentários:

  1. acho que nem precisava matar Deus até porque daria muito trabalho! mas penso ser FUNDAMENTAL cursos constantes de interpretação de texto!
    e um pouco de água com açúcar ou um chopinho pro povo deixar de levar tudo a ferro e fogo.

    ResponderExcluir
  2. O que mata é a falta de informação e a desinformação.Ânus é uma zona erógena , mas o "fiel" nem deve saber o que é isso..como você mesmo postou onde não há escolas , há templos com pastores , guias ou padres analfabetos , semi-analfabetos , analfabetos funcionais acompanhados de uma boa dose de fanatismo religioso.E nós estamos fadados a ser classificados como classe "C" acompanhando esses trogloditas.Classe CÚ !

    ResponderExcluir
  3. Na realidade também não precisa matar Deus. Deus não tem culpa disso. Ele não falou: "Vão e deturpem o que eu falei". E sim: "Amai-vos uns aos outros como eu vos amei". E ponto.
    O problema é colocar Deus como ser humano. Deus não é ser humano, apesar da frase: "Deus fez o homem à sua imagem e semelhança".
    Tem é que parar de deturpar e monopolizar pensamentos.
    Se eu não matei, não roubei, não fiz mal ao meu semelhante, WHAT THE FUCK PROBLEM de eu dar o cú? É o meu ou é o seu?
    É isso.

    C.

    ResponderExcluir
  4. Nietzsche já matou Deus, mas o preblema é que ele ressuscita! Ah, malvado d'us cristão. Criou um círculo vicioso, mata-ressuscita. A fenix manifesta na forma humana.

    ResponderExcluir