quarta-feira, 3 de agosto de 2011

dia do orgulho hétero – ou onde está doendo?

na madrugada de 27 para 28 de junho de 1969, a polícia invadiu o Stonewall Inn, em Nova York, bar frequentado por homossexuais, bissexuais, travestis e drag queens. Não era a primeira vez que tal abuso ocorria. Nessa época, era bastante comum bares gays serem achincalhados por forças policiais. E sem motivo algum.

nessa madrugada, no entanto, algo inédito aconteceu. Os homossexuais decidiram resistir, revidar, lutar contra a opressão dos botinudos. E, logo após a invasão do local, teve início uma onda de protestos dentro e fora do bar. O conflito entre gays e policiais durou vários dias. Hoje, essa rebelião é considerada o episódio inaugural dos modernos movimentos em defesa dos direitos homossexuais. Foi depois de Stonewall que surgiram as paradas do ORGULHO gay.

e por que ORGULHO?

porque os homossexuais sempre foram tão humilhados e perseguidos ao longo da história que acabavam se sentindo envergonhados de serem homossexuais. Escondiam-se em guetos, viviam “dentro do armário”, não reagiam à violência homofóbica.

a palavra ORGULHO foi escolhida para corrigir isso. Em vez de vergonha, a partir de Stonewall, os gays passaram a mostrar que sentiam ORGULHO da sua orientação sexual. E devem sentir mesmo!

Ser gay não é pecado nem crime nem doença nem 
desvio nem safadeza nem porra nenhuma. É ser. Ponto final.

a única diferença em relação aos heterossexuais é que os gays continuam precisando lutar pelo direito de existir. Por isso, necessitam de políticas públicas que lhes assegurem um direito que os heterossexuais têm desde que o mundo é mundo.

agora pergunto aos héteros: faz algum sentido ter o Dia do Orgulho Hétero? Por que se orgulhar de algo que ninguém nunca quis lhes arrancar à força? Vocês já foram espancados apenas por serem heterossexuais? Será o receio de começar a se sentir atraído pelo pau do vizinho? Diz aí: onde está doendo?

4 comentários:

  1. ontem ouvi a pérola (segunda vez que ouço isto da mesma pessoa): prefiro um filho drogado a um filho gay!

    a primeira vez eu me calei! ontem não consegui: falei para ela guardar a ignorância dela para ela!

    deve ser gente assim que dá embasamento pra estas coisas...

    ResponderExcluir
  2. Desculpe contradizê-lo, mas homossexualismo é pecado, é doença e é desvio. E nunca opção, pois esta refere-se a algo em que de fato se pode escolher (como num cardápio em um restaurante), e o homossexual não escolhe, ele só consegue sentir atração pelo mesmo sexo. Noêmia.

    ResponderExcluir
  3. A "doutora" sabida Noêmia aí deve ter as referências para nos apresentar já que é assim tão assertiva para dizer sobre a homossexualidade. Será que ela sabe que a homossexualidade (e não homossexualismo) não é mais considerada doença pelas principais organizações mundiais de saúde? Desde 1973 a homossexualidade deixou de ser classificada como tal pela Associação Americana de Psiquiatria, em 1975 a Associação Americana de Psicologia adotou o mesmo procedimento, deixando de considerar a homossexualidade uma doença. No Brasil, em 1984, a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) posicionou-se contra a discriminação e considerou a homossexualidade como algo não prejudicial à sociedade. Em 1985, a ABP foi seguida pelo Conselho Federal de Psicologia, que deixou de considerar a homossexualidade um desvio sexual e, em 1999, estabeleceu regras para a atuação dos psicólogos em relação às questões de orientação sexual, declarando que "a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão" e que os psicólogos não colaborarão com eventos e serviços que proponham tratamento e/ou cura da homossexualidade. No dia 17 de maio de 1990, a Assembleia-geral da Organização Mundial de Saúde (sigla OMS) retirou a homossexualidade da sua lista de doenças mentais, a Classificação Internacional de Doenças (sigla CID). Por fim, em 1991, a Anistia Internacional passou a considerar a discriminação contra homossexuais uma violação aos direitos humanos. Isso se deu pelo avanço da ciência e dos direitos humanos. Ou será que a sra. noêmia tem mais capacitação para julgar que todas estas insitutições?
    Quanto à ser pecado, cada religião tem a sua interpretação, e também os fiéis estão avançando na direção dos Direitos Humanos vendo que é um ATRASO continuar a pensar como na Idade Média. Vemos novas iniciativas, como se vê na reportagem: http://armario33.wordpress.com/2011/06/17/comunidade-crista-cidade-de-refugio/. Este é o site da Igreja: http://jesuscidadederefugio.com.br/sitenovo/, e sugiro ler especialmente a parte de "Propósitos".
    Vamos continuar na Idade Média e queimaremos todos os sodomitas (homossexuais de hoje), bruxos (espiritualistas, mágicos, curandeiros e até cientistas de hoje em dia), ateus e adúlteros...??? Não sobraria mais ninguém para contar a história!

    ResponderExcluir