terça-feira, 30 de agosto de 2011

quando a realidade é mais assustadora que a ficção

que devemos sempre desconfiar das informações publicadas na internet a gente sabe. Mas o Ronaldo Lemos publicou dois artigos assustadores no “Folhateen”. Ele fala sobre empresas que cobram para postar falsos comentários positivos na web, numa clara tentativa de manipular a rede. Reproduzo abaixo os dois artigos. Leia. É importante.

QUANTO VALE UM COMENTÁRIO POSITIVO?
Ronaldo Lemos - Folhateen: 22/08/2011

Um colega da Universidade Princeton chamado Tim Lee resolveu ir ao dentista. Antes de entrar no consultório, estranhou o fato de pedirem para assinar um longo documento. Era um contrato em que se comprometia a não falar mal do dentista na internet se tivesse algum problema. Revoltado, resolveu investigar. Descobriu que a coisa era mais complexa.

O contrato era fornecido por uma organização chamada "Medical Justice" (Justiça Médica), que, em troca de mensalidade, protege profissionais de saúde contra reclamações. Mas a organização ia muito além. Entrava em sites de avaliação de produtos e serviços e postava falsos comentários positivos, criados por perfis controlados pela organização (leia aqui).

A opinião das pessoas na internet é importante. Uma pesquisa da Nielsen mostrou que 70% dos internautas consultam opiniões na rede antes de comprar algo. O problema é que algumas empresas, incluindo agências de publicidade, descobriram isso e passaram a oferecer serviços que manipulam comentários.

Um jornalista francês, fazendo-se passar por uma rede de hotéis, procurou uma agência em Paris e recebeu o orçamento: 3.750 euros (R$ 8.600) a cada 250 comentários positivos. E a garantia de que seria impossível descobrir o esquema.

Outra empresa, em Madagascar, oferece uma solução mais barata – por US$ 800, garante 8.000 comentários positivos por mês.

Só que essa prática é crime. O Código do Consumidor proíbe a publicidade enganosa, "capaz de induzir o consumidor em erro" e atribui pena de um ano para quem faz "afirmação falsa ou enganosa" sobre produtos ou serviços. Não é só o futebol que precisa de fair play. A internet também.

**********

PERFIL FALSO É USADO PARA MANIPULAR A REDE
Ronaldo Lemos - Folhateen: 29/08/2011

Falei na última semana de como empresas estão vendendo comentários na internet. Algumas cobram R$ 8.500 por 250 comentários positivos. O artigo teve repercussão, e um leitor propôs uma solução: basta verificar o perfil do autor de cada comentário para saber se é falso ou verdadeiro.

Só que o problema é muito maior. Existem redes organizadas de perfis falsos, que são administrados para parecerem verdadeiros. Os perfis têm e-mail, contas em redes sociais, postam conteúdo e interagem com outras pessoas. Só que são controlados por uma empresa. E o mais perturbador: isso é feito por software, que simula o comportamento real de uma pessoa, automatizando todo o processo.

Parece ficção científica, mas a estratégia é usada como ferramenta de propaganda militar pelos EUA (veja matéria do "The Guardian"). Os perfis são criados pelo governo, tendo como alvo a China e mais países do Oriente Médio.

Em momentos de crise, a ideia é usá-lo para criar falsos consensos, dando a impressão de que as pessoas estão apoiando ou rejeitando algum tema estratégico. A justificativa oficial é "combater discursos extremistas e propaganda inimiga".

Há também relatos de que lobistas se valem da mesma estratégia. Os casos incluem empresas de petróleo recorrendo a perfis falsos para questionar a validade de pesquisas sobre o aquecimento global, e empresas de cigarro usando a mesma estratégia para se opor ao aumento de restrições ao fumo.

Esse tipo de prática tem o potencial de destruir a internet como a conhecemos. É uma situação que lembra filmes de horror em que não se sabe mais quem é humano ou não, como "Invasores de Corpos" ou "O Enigma de Outro Mundo". Só que nesse caso, a realidade é mais assustadora do que a ficção.

Um comentário:

  1. Nossa! Nem sabia de toda essa repercussão aí. Ficarei mais atenta quando for adquirir algum produto ou serviço.

    Bom post, Marcos!

    Beijos!!!
    Isa

    ResponderExcluir