segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Incêndios e a brutal necessidade de saber


assisti “Incêndios”, produção franco-canadense dirigida por Denis Villeneuve. O filme começa em clima de videoclipe, tendo como trilha sonora a canção You and Whose Army?, do Radiohead. E ouvir a voz melancólica do Thom York logo no início do longa meio que entrega o que vem a seguir: uma história pra lá de triste – e impactante. Duvido que alguém consiga antecipar o desfecho surpreendente da trama.

o enredo tem seu ponto de partida no Canadá, onde os irmãos gêmeos Simon e Jeanne são chamados para a leitura do testamento da mãe, Nawal Marwan, interpretada com maestria pela atriz belga Lubna Azabal. Nawal deixa duas missões para os filhos: entregar uma carta para um irmão, que eles nem sabiam que existia; e outra carta para o pai, que eles pensavam que estivesse morto.

simon, num primeiro momento, rebela-se contra a vontade póstuma de Nawal. Mas Jeanne logo se manda para o Oriente Médio, refazendo a trajetória da mãe que, na juventude, esteve envolvida numa sangrenta guerra entre cristãos e muçulmanos. Acaba desvendando o paradeiro do pai e do irmão. E descobre também a sua verdadeira origem.

assista ao filme. Você não vai se arrepender. Mas talvez passe a pensar duas vezes antes de querer remexer no passado, saber das coisas.

se Simon e Jeanne simplesmente desobedecessem ao pedido da mãe, seguiriam suas vidas em paz, sem traumas. Mas quem consegue escapar da curiosidade? Da brutal necessidade de saber?

lembro de uma amiga que, após a morte do marido, começou a fuçar nas coisas dele e descobriu que o cara teve uma amante durante anos. Não satisfeita com a revelação, ela ainda foi atrás da mulher. Queria conhecê-la, saber tudo sobre a infidelidade do marido. Ficou sabendo e, revoltada, caiu em depressão.

de um minuto para o outro, essa minha amiga viu suas certezas irem para o beleléu. Ao descobrir a traição, ela descobriu que todos aqueles anos de felicidade ao lado do marido foram uma grande mentira. Sentia-se enganada e, mais ainda, uma completa idiota por nunca ter desconfiado de nada.

agora, resta de pé a pergunta: valeu a pena saber?

existem aqueles que preferem se fingir de mortos. Para estes, “ignorância é felicidade”. E há quem prefira saber de tudo, doa a quem doer. Eu, pra ser honesto, prefiro saber. Mas tenho evitado procurar. Afinal, como dizem por aí: "quem procura acha".

PS: "Incêndios" ainda mostra de maneira contundente os estragos que o fanatismo religioso pode causar nas vidas das pessoas. 

2 comentários:

  1. Assisti na estréia. Faz um tempo.

    Realmente muito impactante. Vale a pena.

    Eu tbm quero saber de tudo, e isso realmente machuca. Mas concebo como necessário.

    ResponderExcluir
  2. Marcosssss, que filmaço! obrigada pela dica!

    para mim é um filme que tem que ser visto mais de uma vez, já que tem muitas nuances envolvidas... o desfecho incrível é mais uma das coisas incríveis no meio de tudo!

    de novo, só tenho a te agradecer meu amigo... ainda que tarde, vi um dos melhores filmes deste meu ano de 2011!

    ResponderExcluir