quarta-feira, 28 de setembro de 2011

morrissey: o cantor dos párias

"NÃO SOU UMA CELEBRIDADE; MEU STATUS NÃO TEM NADA A VER COM ESSA PALAVRA.  
EU SOU UM ANTISSOCIAL. AO MESMO TEMPO EM QUE TENHO MILHARES DE FÃS, MAL SOU TOLERADO PELA INDÚSTRIA. 
HOJE O INDIE VIROU UM "LOOK", UMA POSTURA, MAS, NO INÍCIO DOS ANOS 1980, ERA UMA PROFISSÃO DE FÉ. NÃO QUERO FORMAR UM CASAL BONITO, NÃO QUERO ME INTEGRAR AOS CLICHÊS DE UMA VIDA DOCE, FELIZ E PERFEITA. JÁ HÁ GENTE SUFICIENTE COMPROMETIDA COM ISSO. A VIDA É MESMO UM CHIQUEIRO, NÃO É? UMA TORTURA. O CALVÁRIO SÓ TERMINA QUANDO SE MORRE."

trechos de entrevista publicada na revista Technikart

2 comentários:

  1. Amor da minha vida! Quero casar com o cérebro desse homem! Meu Freud, meu Jung, meu Adler, meu terapeuta favorito de tantos anos. Meu namorado imaginário.

    Ai, é tanto amor!

    ResponderExcluir
  2. Certamente o título desse blog faz referência a gente do seu tipo ...

    ResponderExcluir