quinta-feira, 22 de setembro de 2011

os brasileiros estão sempre 2 horas atrasados

a entrevista estava marcada para às 16h. Cheguei 15h47. A moça bonita da recepção pediu para eu aguardar. Ofereceu água e café. Só esqueceu de me oferecer uma cama confortável e paciência. E haja paciência quando você precisa entrevistar fulano, e fulano atrasa quase duas horas para recebê-lo. Pior. Assim que o recebe, o desgraçado nem pede desculpas pelo atraso!

essa foi apenas uma das minhas inúmeras esperas em anos de jornalismo. Eu, ali, naquela imensa solidão siberiana, olhando para as paredes, pensando na morte da bezerra e bufando de ódio. Para matar o tempo, nem vasculho mais a pilha de revistas depositada sobre a mesinha ao lado do sofá Tok & Stock. Sei de cor e salteado o que vou encontrar ali: a edição de outubro de 1985 da “Veja” e publicações amareladas e amarrotadas sobre celebridades e boa forma física.

pergunta: por que toda sala de espera tem uma "Veja"?

alguns dizem que a espera faz parte. São “ossos do ofício” do jornalista. Pode até ser. Mas eu acho que é falta de educação mesmo. Se marcou em tal hora, que esteja lá na hora marcada. A não ser que a mãe tenha sido atropelada e morta por um disco voador pilotado por um venusiano bêbado. Aí, eu até entenderia o atraso.

Chrissie Hynde
lembrei dessas minhas esperas siberianas após ler declaração da Chrissie Hynde, a vocalista do Pretenders. Ela ficou de ligar para o repórter da “Folha”. Atrasou. E para justificar a sua falta de pontualidade, disparou: “Mas os brasileiros estão sempre duas horas atrasados, então acho que você me perdoa, certo?”. Chrissie morou um ano no centro de São Paulo. Por isso, sabe do que está falando.

o atraso, a bem da verdade, já virou patrimônio imaterial nacional. É respeitado e celebrado por todos. E dane-se a pontualidade! Quem vai ao médico, por exemplo, sabe. Mesmo pagando os olhos da cara, teremos que permanecer na sala de espera por longos e longos minutos, olhando, constrangidos, um para a cara de doente do outro, enquanto o médico tenta vencer o trânsito para chegar ao consultório.

ah, o trânsito... É sempre a desculpa preferida dos atrasados. Mas, qual sujeito ainda não sabe que o trânsito anda mesmo terrível? Então, por que não sai mais cedo para chegar no horário marcado? Simples. Não é ele quem está com a bunda dolorida de tanto esperar.

Ser pontual não é caretice. É demonstração de respeito ao outro. E sinal de civilidade. No Japão, o trem-bala sai às 13h23. Lá, não tem essa de "arredondar" o horário. Atrasou um mísero segundo, se fodeu, perdeu a viagem.   
 

6 comentários:

  1. Concordo com você em gênero, número e grau, acho o atraso a maior falta de educação e só justificável se algo muito grave aconteceu, senão a pessoa sabe o horário e é só se programar para sair mais cedo se necessário.

    ResponderExcluir
  2. É isso, Patrícia.
    tb não suporto o atraso, acho falta de respeito. O problema é que o atraso, no Brasil, parece institucionalizado. Estranho por aqui é você chegar no horário. Bj.

    ResponderExcluir
  3. Isso, vai pro Japão. Vaza!

    ResponderExcluir
  4. Já fui. Duas vezes. E, se pudesse, me mudaria para lá de vez. Abs.

    ResponderExcluir
  5. Por que as pessoas vêm aqui pra fazer comentários negativos? Não é melhor ficar quieto? Pior é não ter colhão pra colocar o nome. ¬¬

    E, Marcos, aguardar a boa vontade alheia de aparecer num compromisso é um saco, mesmo. Há sempre uma desculpa, porque, sim, "não é ele quem está com a bunda dolorida de tanto esperar." Não sei se em outros países é assim, sei que na França não é e, como você exemplificou, no Japão também não...

    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Isa, claro q a gente não pode generalizar. Talvez lá fora, em alguns países ditos civilizados, tb desrespeitem os horários. Como disse antes, o problema aqui é que todo mundo já acha normal atrasar e deixar o outro esperando. Quanto ao sujeito que me mandou ir para o Japão, pelo menos foi mais "educado" que outros, que já me mandaram para a pqp. Bj.

    ResponderExcluir