sexta-feira, 23 de setembro de 2011

a peregrinação por seis hospitais

foram quase 90 quilômetros de peregrinação por duas cidades brasileiras: Rio de Janeiro e Duque de Caxias. E o rapaz de 21 anos, bastante ferido depois de cair de uma laje de sete metros de altura e bater a cabeça no chão, só foi internado no sexto hospital.

após o acidente, foi levado pela família ao posto de saúde (01). Mas ali não havia estrutura para recebê-lo. O rapaz, então, foi colocado numa ambulância e transferido para o hospital Adão Pereira Nunes (02), em Duque de Caxias. Faria um exame de tomografia no local, caso o aparelho estivesse funcionando. Não estava.

teve, então, que ser encaminhado para o Getúlio Vargas (03), no Rio, hospital de referência da rede estadual. Não havia neurocirurgião. O jeito foi levá-lo para o Souza Aguiar (04), uma das maiores emergências do país. Outra decepção. O hospital não tinha vaga na neurocirurgia. Em mais uma tentativa, a ambulância seguiu para o Carlos Chagas (05). Ali, foi realizada uma tomografia no acidentado. Mas o hospital não atende casos de fraturas múltiplas.

depois de sete horas na maca de uma ambulância, às 23h, o rapaz enfim foi internado no hospital Salgado Filho (06), no subúrbio do Rio.

ok, nada demais. Fora esse pequeno detalhe sem muita importância para os governantes, o Rio, devo admitir, continua lindo, com o “Cristo Redentor de braços abertos sobre a Guanabara”.

e ainda tem Rock in Rio, vai sediar a partida final da Copa do Mundo em 2014 e, lá em 2016, será palco da Olimpíada. Eita cidade boa de viver – pelo menos para quem não necessita peregrinar por seis hospitais para ser socorrido.

2 comentários:

  1. Que absurdo.

    E essa ilusão turística é deprimente também...

    ResponderExcluir
  2. Isa,
    aposto q governador e prefeito vão estar hoje lá na abertura do roquenrio. Enquanto isso... Bj.

    ResponderExcluir