quarta-feira, 9 de novembro de 2011

marco nanini é gay. E daí?


em entrevista para a revista “Bravo” de novembro, Marco Nanini falou sobre a sua homossexualidade: “Às vezes, pintam umas namoradas, uns namorados... Namoradas, não. Namorados... Mas, se não pintam, sem problemas. Já vivi o que necessitava viver nessa seara.”

até aqui, nada demais.

aí, o Nanini foi ao 5o Prêmio Contigo! de Teatro e, como sempre acontece quando um famoso fala abertamente sobre sexualidade (lembra do “prazer anal” da Sandy?), teve que voltar ao tema: "Eu nunca entrei no armário para poder sair dele. Muito menos num closet. Nada mudou na minha vida depois disso. Aliás, nem antes e nem depois. O que eu falei está ali, dito, escrito e registrado. Não quero ficar especulando mais sobre esse assunto", disse o ator para o site EGO.

pois bem. Da “Bravo”, a declaração de Nanini reverberou na internet. E como a gente sabe, a internet é morada do diabo, onde os “anônimos rancorosos” saem disparando seu ódio e seu preconceito a quem encontrar pela frente.

e entre os vários comentários de leitores sobre a declaração de Nanini – muitos o elogiando, outros xingando o ator – um me chamou a atenção:

“Caiu no meu conceito, não vejo mais nada q esse senhor apresente”.

o Nanini, ao que parece, perdeu um admirador apenas porque declarou que namora rapazes. E acho que esse é o grande receio de boa parte das pessoas públicas (artistas, políticos, esportistas etc.) quando se olham no espelho e se questionam se devem ou não assumir sua homossexualidade: a rejeição da plateia. 

rock Hudson, o galã hollywoodiano da década de 1950, morreu sem nunca botar nem a ponta do nariz para “fora do armário”.

ele foi medroso? Talvez. Mas quantos homossexuais por aí não escondem sua orientação sexual por medo de serem hostilizados e rejeitados no ambiente profissional – e, em alguns casos, até demitidos?

é óbvio que o Nanini continua sendo o grande ator que sempre foi. O problema é que, por mais absurdo que pareça, tem gente que é capaz, sim, de abandoná-lo, de deixar de prestigiá-lo simplesmente porque descobriu que ele é gay.       

o que uma coisa (o profissional) tem a ver com a outra (ser homossexual)? Nada. Mas o preconceito é assim mesmo: insensato, obtuso e feio, muito feio. 
 

2 comentários:

  1. MAC, eu só consigo pensar (deixei de tentar entender há tempos) no que voce disse: E DAI?

    GENTE, E DAI?

    sei la, acho que to no mundo errado...

    ResponderExcluir
  2. Quando eu vejo uma coisa dessas me dá vontade justamente de me assumir. Ainda não o fiz, mas acredite: estou por um fio. Acho que os homofóbicos têm mais é que se danar, que me odeiem se for o caso, prefiro antes sua distância!

    ResponderExcluir