segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

com o coração partido

comecei a perceber que havia algum defeito em mim quando fiz o alistamento militar obrigatório. Eu não queria servir às Forças Armadas. Mas, depois de realizar todos os exames, passei a dizer às pessoas e principalmente a mim mesmo que eu seria convocado. 

era modo de eu me preparar para o pior. E ali eu notei que sempre agi assim, sempre esperei pelo pior. 

quando saiu o resultado, alívio: escapei do Exército por excesso de contingente. Isso, porém, não mudou meu jeito de encarar as coisas. 

sou um pessimista. E cada vez mais acho que nasci com algo me faltando – algo importantíssimo pra gente suportar melhor a vida: esperança. 

esperança, segundo o Houaiss, é “sentimento de quem vê como possível a realização daquilo que deseja; confiança em coisa boa; fé”. 

quem tem esperança acredita nesse papo de "pensamento positivo", de “mundo melhor”, de que “dias melhores virão”. Acredita, enfim, na humanidade. E, por isso, costuma lutar por alguma causa nobre. 

eu nunca lutei por porra nenhuma. Meu modo de viver é no piloto automático, ir empurrando a vida com a barriga. Pra mim, por mais que os "ativistas" gritem e esperneiem, o mundo sempre vai ser um lugar injusto e animalesco, e o ser humano sempre será capaz das mais horrendas atrocidades. 

não pense que sinto orgulho de ser assim. Não! Eu queria ser como os outros e fingir que me importo com as dores do mundo. O problema é que eu não consigo.

acho que já nasci com o coração partido.
 

4 comentários:

  1. Perfeito.
    Acabo sempre chovendo no molhado, enfim...
    O domínio das palavras e este dissabor realista é sempre um prazer intelectual.

    PORRAGUINOZA

    ResponderExcluir
  2. Marcos, tenho um texto chamado "Declaração de Princípios", com abordagem semelhante à da sua postagem. Um dia eu publico em algum lugar. Abraços.

    ResponderExcluir
  3. faço das suas palavras as minhas. o mundo é animalesco. realidade animália.

    lendo aqui seus posts já garanto voltar mais vezes. grande abraço. :)

    ResponderExcluir
  4. Antigamente nossos ancestrais viviam em cavernas e hoje em dia vivemos em grandes prédios -- o mundo mudou bastante. E como mudou? Bom, ele mudou porque algumas pessoas resolveram sentar, empurrar suas vidas com a barriga e reclamar de quem estava fazendo algo para que aquilo tudo se transformasse no que temos hoje. E graças a elas tudo ficou melhor.

    Sou igualmente pessimista, levo a vida empurrando com a barriga algumas vezes, posso até reclamar do mundo, da vida, pôr a culpa em algumas pessoas. Mas quase nunca, não que eu lembre agora, tenho reclamado de quem faz algo. Isso é o pior.

    ""Eu queria ser como os outros e fingir que me importo com as dores do mundo. "

    Acho que você queria saber fingir ter tal sentimento, porque sabe que não sendo dessa forma jamais sentirá algo verdadeiro em relação 'as dores do mundo'. A proposito, um mundo bem distante do seu.

    ResponderExcluir