domingo, 29 de janeiro de 2012

Vergonha nacional

a gente sabe que os estúdios de Hollywood produzem toneladas de filmes de ação bem ruins.

exemplo: homem mau mata mulher do homem bom e homem bom sai matando todo mundo para vingar a morte da mulher. Você já deve ter assistido algum filme americano com esse roteiro manjado.

lá, no entanto, cinema é indústria e os caras devem ter dólares para jogar no lixo com essas porcarias.

o problema é quando um país latino-americano, sem dinheiro no bolso, tenta copiar o que Hollywood produz de pior.

ontem (sábado), enquanto passava a roupa (uma pilha imensa de roupa!), deixei “Segurança Nacional” rolando no aparelho de DVD. Nem sei quem dirigiu esse abacaxi podre. Sei que o filme é muito, muito, muito, muito, muito péssimo.

no longa, Thiago Lacerda é espécie de Jack Bouer, o herói da série “24 Horas”, e precisa enfrentar narcotraficantes que querem explodir uma bomba atômica no Brasil, além de ter que salvar a vida da mocinha e namorada, sequestrada pelo homem mau. Milton Gonçalves é o nosso Obama e Ângela Vieira a nossa Hillary Clinton.

a sucessão de clichês e cenas amadoras constrange. O roteiro parece ter sido escrito por um debilóide. Vergonha alheia total.   

e, pra foder de vez, no final surge uma canção que é uma mistura de Rosana com Vanusa com Mara Maravilha cantando gospel. Se o filme é lamentável, a trilha sonora consegue ser ainda pior.

mas o que incomoda mesmo é saber que esse filmeco foi financiado por meio dessas leis de incentivo à vergonha nacional. E que os autores desse atentado à inteligência ainda devem ter ganhado um dinheirinho pelo trabalho mal feito.

assim é fácil. Sem risco de falir, qualquer idiota faz "arte". 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário