quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

vou ali abraçar um mendigo

ando por aí, ouço o povo falar e percebo que a maioria apóia a intervenção policial na cracolândia e não está nem aí para o que aconteceu em Pinheirinho.  

agora, o outro lado.

ao me conectar e acessar minhas contas no Twitter e no Facebook, a realidade muda, é completamente oposta. Na internet mais próxima de mim, há manifestações indignadas contra essas ações policiais.

em qual lado se posicionar vai de como cada um enxerga as complicações do mundo.

a verdade, porém, é que não existe conexão entre o pessoal da internet e o povo lá fora. Se existisse, acho que os protestos combinados por meio das redes sociais não juntariam tão pouca gente. E o PSDB não estaria governando São Paulo há tantos anos.

às vezes, de tanto viver conectado, acabo me iludindo e embaralho o “Brasil real” e o “Brasil virtual”. Chego a acreditar que toda a população está unida num mesmo propósito, numa mesma opinião. Lego engano.

há um abismo imenso aí. E, por mais que estejamos avançando, ainda falta muito para que esses dois brasis se aproximem.

por enquanto, a maioria “desconectada” é que manda, elegendo seus candidatos, impondo suas vontades e chamando pobre e viciado de vagabundo. Talvez, lá na frente, a gente possa ir às ruas juntos para combater as injustiças e os preconceitos.

quem sabe? Pode acontecer.   

enquanto esse dia não chega, aproveito o feriado e vou ali abraçar um mendigo em homenagem aos 458 anos de São Paulo.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário