domingo, 12 de fevereiro de 2012

as coisas que você não vai ter


ser pobre é passar vontade a vida inteira.

e nem vem com aquele papo hippie-esotérico de “sou feliz com o que tenho”. É mentira! Sempre sentimos falta de algo, sempre queremos algo além do que temos. Falo isso porque sou pobre e sei como é desejar uma Ferrari e ter que se contentar com um Fusquinha.

sim, é possível “vencer na vida”, “subir na vida”, “mudar de vida” e, aos poucos, ir conquistando uma coisinha aqui, outra acolá. O problema é que o tempo normalmente é curto demais para tantas vontades acumuladas.

assim, viramos defuntos antes, bem antes de conseguir saciar essas vontades.

outra coisa que perturba o nosso sono é o sucesso alheio. Não falo de inveja – esse sentimento asqueroso – mas da sensação de que estamos fracassando quando sabemos que outros estão indo passar férias no Taiti e nós, em Praia Grande.

bate uma tristeza, não bate? Em mim, bate. E não é porque eu queria ir para o Taiti; não é porque o outro – e não eu – está indo para o Taiti. Quem deseja que o outro se ferre porque é um ferrado merece uma boa surra!

fico triste porque nessas horas percebo que há coisas, muitas coisas na vida que jamais vou ter. E não é por azar, por ter nascido pobre ou o que seja. É porque me lembro que nem todos temos competência e talento para "brilhar" e matar as nossas vontades.
 

3 comentários:

  1. Inveja - é, inveja sim - moral classe média e auto-ajuda. Êta clichê!

    ResponderExcluir
  2. não acho que seja questão de talento, marcos. acho que o problema é que a gente se alimenta de vontades demais... o trem beira o patológico. sabe aquela do queen: "i want it all, i want it all and i want it now!"? pois sim, bem por aí. aí, haja brilho pra tantos inesgotáveis quereres...
    ótimo texto!
    beijo!
    =)

    ResponderExcluir
  3. Me sinto bem assim. Várias vezes.

    ResponderExcluir