sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

traição virtual


estou bastante desatualizado sobre alguns assuntos importantíssimos. Veja só: outro dia, um amigo me falou que, na internet, havia vídeos dos big brothers Yuri e Jonas se masturbando e eu nem sabia disso.

fui ver, claro. Sou curioso. Mas ao ver os vídeos, achei nada demais.

Homens – héteros e gays – respondam sem pestanejar: quem nunca?

essa “relaxadinha” online é trivial e barata. Não fosse assim, não haveria tanta pornografia na web. Mas, se você for casado, será que é traição se masturbar na internet?

é e não é

acho que há uma diferença amazônica entre assistir a um vídeo pornô on demand e interagir com o sujeito lá do outro lado da webcam. No primeiro caso é como ver um filme pornô. Nada além disso. No segundo, existe O Outro. E se existe O Outro, existe traição.

nessa fase, ainda é uma traição light, virtual, sem contato físico. Não acho que seja motivo para acabar com o casamento. A coisa fica grave, gravíssima, se o seu parceiro resolve avançar de fase. Ou seja, resolve se encontrar com O Outro no motel mais próximo.

aí, danou-se! Aí, a traição se concretizou.

como nem sempre o apetite sexual dos parceiros está no mesmo nível, acho compreensível que um ou outro alivie seu tesão sozinho - na internet, no banheiro, na área de serviço, onde for.

a gente só precisa estar consciente que assistir vídeo pornô na internet não tem nada demais. Mas, ao ligar a webcam para "interagir" com O Outro, sempre haverá o risco de acabar avançando de fase.
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário