terça-feira, 27 de março de 2012

10 reais na mão, cueca no chão

Foto: Margaret M. de Lange

invejo pessoas que podem escolher o que desejam fazer, que tem grana e talento suficientes para dizer: “Não, obrigado”.

podia ser eu nessa foto aí em cima. Estou numa fase “10 reais na mão, cueca no chão”. Ou seja: pagando, o que pintar eu topo.

é pedrada sobreviver assim, sabe. Ter que engolir o orgulho e vender meu trabalho e meu tempo por valores nem sempre justos – e realizando coisas que nem sempre são prazerosas e/ou interessantes.

sinto-me meio puta de rua, tendo que fazer programas com qualquer sujeito fedorento para garantir o aluguel do mês.

é aquela história: cada um se vira com o que tem. E quem tem mais – grana, talento, sorte, beleza, competência – pode mais. Pode mandar todo o resto para o inferno e ser feliz fazendo somente aquilo que gosta.

mas quantos de nós temos essa autonomia? 1 em 10 mil? 1 em 100 mil? 1 em 1 milhão? Não sei. Só sei que devem ser pouquíssimos.

a maioriaonde estou incluídoprecisa "baixar a cueca" e se sujeitar às circunstâncias. Claro, a gente sempre tem a opção de dizer "não", ser despejado por não pagar o aluguel e morrer de fome na rua da amargura.

infelizmente, falta-me coragem para jogar tudo para o alto. Pior: tenho essa mania tola de ficar questionando a minha existência, o sentido da vida, essas bobagens filosóficas. E quem faz isso logo percebe a sua insignificância diante do mundo.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário