quinta-feira, 8 de março de 2012

dia internacional do homem sensível


como todos sabem, 8 de março é o Dia Internacional da Mulher. Mas a mulher já fez a sua revolução, queimando sutiãs em praça pública e, aos trancos e barrancos, tapas e beijos, ao longo dos últimos anos acabou conquistando o seu espaço no mundo.

não custa lembrar: nossa presidente é mulher.

por isso, acho que chegou a hora de os homens fazerem a sua própria revolução. Falo dos homens heterossexuais – essa espécie esquisita criada e treinada para competir, agredir, ser macho acima de qualquer suspeita.

olha, se esses homens se libertassem da opressão de ter que coçar o saco para mostrar que são “homens com H” e assumissem suas fragilidades, acho que boa parte dos nossos problemas seriam resolvidos.

que mal há, por exemplo, em um homem beijar outro homem, demonstrar afeto por outro homem? Nenhum. Mas recentemente dois jogadores da seleção francesa de futebol, Giroud e Debuchy, beijaram-se depois do primeiro fazer um gol. A imagem viajou o planeta e a imprensa “envergonhada” chamou a cena de “curiosa”.

curiosa por que, cara-pálida?

é dessa forma, censurando e debochando dessas demonstrações de afeto entre homens, que se perpetua o preconceito, a homofobia, a agressividade como prova de macheza.

não seria legal se os homens heterossexuais fossem às ruas e queimassem suas cuecas, exigindo respeito ao seu direito legítimo de também poderem ser carinhosos e sensíveis?

eu apoiaria.
 

Um comentário: