sexta-feira, 2 de março de 2012

cada um tem a sua dor particular


cada um tem a sua dor particular. Não falo da dor física. Pra essa existem analgésicos eficazes. Falo da “dor espiritual”. Uma dor bem mais complicada de diagnosticar.

a “dor espiritual” é aquela que faz a gente queimar na cama sem conseguir dormir. Que deixa a gente insatisfeito, angustiado, desanimado, ansioso, sem a gente saber o motivo.

é como se houvesse algo quebrado dentro da gente. O quê? Muitas vezes, nem o psiquiatra consegue desvendar.

esse tipo de dor parece cada vez mais comum nos dias atuais. Cada vez mais gente usa antidepressivos para combatê-la. Eu usei durante sete meses. A dor diminuiu, mas não desapareceu. Sei que continua aqui, em algum canto escuro de mim, pronta para voltar a me aterrorizar a qualquer momento.

outro dia, recebi e-mail de uma leitora deste blog. Após ler o seu relato, percebi que há dores mil vez mais doloridas que a minha, dores incapacitantes, que deixam as pessoas prostradas, impossibilitadas de seguir em frente.

eu, ainda que cambaleante, consigo me manter de pé.   

ei, você aí, com sua bunda feliz, se você não compreende que porra de dor é essa, sinta-se sortudo e privilegiado. Mas saiba que essa dor, apesar de invisível, existe e amargura, existe e derruba, existe e mata.

e não tem nada a ver com fraqueza, covardia, auto-piedade. Acho que é dor de quem descobriu que o mundo não é um lugar legal e desmoronou ao encarar tal verdade.

5 comentários:

  1. Uma hora essa dor aparece, né, Marcos? Mas todo mundo insiste em tapar a dor com a peneira. Abs.

    ResponderExcluir
  2. hoje foi minha primeira consulta com psiquiatra

    ResponderExcluir
  3. Marcos, bom dia !

    Hoje através de uma consulta ao Google buscando maiores detalhes sobre o remédio EXODUS, me deparei com o seu blog, onde consegui mas do que informações, uma importante contribuição: A TROCA DE EXPERIÊNCIAS.

    Li alguns depoimentos de pessoas que ali encontraram um certo alento, não por acharem solução para o seu problema maior (DEPRESSÃO), mas sim pelo fato de poder trocar experiências/informações, sentirem-se pertencentes a um grupo.

    Apesar da minha busca por informações, não fui acometido por esta docença (depressão), pelo menos ainda acredito nisso ... ... rsrsrs
    Mas minha esposa teve este diagnóstico há algum tempo e recentemente, devido a um fato bastante impactante, entrei neste tratamento junto com ela; desde então tenho tentado me informar e ajudar no que posso. Ela está tomando o EXODUS há 30 dias, mas ainda oscila muito, por isso minha busca por informações.

    Gostaria de parabenizá-lo, antes de tudo por sua coragem de assumir publicamente, sua condição de "depressivo" ... ... isto é MUITO DIFÍCIL; já que para alguns desinformados e outros ignorantes, isto parace ser um sinal de fraqueza e fruto de muita discriminação. Deixo aque registrado que contrariamente a este senso comum, assumir-se, é uma prova de extrema bravura e, transformar sua dor num projeto tão interessante, como seu blog, um ato extremamente gentil e caridoso.

    Talvez, caso haja espaço, você também pudesse nos incluir nas suas sensatas reflexões, nós os que orbitam junto as pessoas que são acometidas pela depressão; é uma realidade muito difícil de viver e também precisamos de ajuda. Fica a sugestão.

    PARABÉNS !

    ResponderExcluir
  4. RETIFICANDO (Texto revisado)
    Marcos, bom dia !

    Hoje através de uma consulta ao Google buscando maiores detalhes sobre o remédio EXODUS, me deparei com o seu blog, onde consegui mais do que informações, uma importante contribuição: A TROCA DE EXPERIÊNCIAS.

    Li alguns depoimentos de pessoas que ali encontraram um certo alento, não por acharem solução para o seu problema maior (DEPRESSÃO), mas sim pelo fato de poder trocar experiências / informações, sentirem-se pertencentes a um grupo.

    Apesar da minha busca por informações, não fui acometido por esta doença (depressão), pelo menos ainda acredito nisso ... ... rsrsrs
    Mas, minha esposa teve este diagnóstico há algum tempo e recentemente - devido a um fato bastante impactante - entrei neste tratamento junto com ela; desde então tenho tentado me informar e ajudar no que posso. Ela está tomando o EXODUS há 30 dias, mas ainda oscila muito, por isso minha busca por informações.

    Gostaria de parabenizá-lo, antes de tudo por sua coragem de assumir publicamente, sua condição de "depressivo" ... ... isto é MUITO DIFÍCIL; já que, para alguns desinformados (e outros ignorantes),isto parace ser um sinal de fraqueza e consequentemente fruto de muita discriminação. Deixo aqui registrado que, contrariamente a este senso comum, assumir-se é uma prova de extrema bravura e, transformar sua dor num projeto tão interessante, como seu blog, um ato de extremamente gentileza e caridade.

    Talvez, caso haja espaço, você também pudesse nos incluir nas suas sensatas reflexões, nós os que orbitamos junto as pessoas que são acometidas pela depressão; é uma realidade muito difícil de viver e também precisamos de ajuda. Fica a sugestão.

    PARABÉNS !

    ResponderExcluir