quarta-feira, 11 de abril de 2012

faça “o bem” e ganhe uma garrafa de Coca-Cola


Foto: Dulce Pinzón
 
a Coca-Cola utiliza uma das canções mais legais do David Bowie – “Heroes”, lançada em 1977 – para dizer que “todos já fomos heróis um dia” e que “está na hora de vestir aquele uniforme de novo” porque “o mundo precisa de heróis como você”. E “quem pratica o bem”, segundo a propaganda, “merece uma homenagem”.

e qual seria essa “homenagem”? Uma garrafa de Coca-Cola, claro. Faça “o bem” e ganhe um garrafa de Coca-Cola. Genial!

as propagandas – ou boa parte delas – não vendem mais um produto. Vendem um ideal, um estilo de vida, uma felicidade só conquistada se você comprar determinado carro, ser cliente de determinado banco, lavar suas roupas com determinado sabão em pó, beber determinado refrigerante.

e pouco importa se, como produto, esse carro, banco, sabão em pó ou refrigerante atendam às nossas necessidades. Somos seduzidos mesmo é pela “mensagem de luz” que diz basicamente o seguinte: consuma tal produto e seja feliz.     

não sei o que veio primeiro: os livros de autoajuda ou as propagandas fofas de margarina. Sei apenas que não seremos nem mais nem menos felizes lendo asneiras como “12 Semanas para Mudar Uma Vida” nem consumindo isso ou aquilo.

ter um iPhone, por exemplo, pode fazer você se sentir superior àquele que não têm grana para comprar um iPhone. Mas aquele que não tem grana para comprar um iPhone pode ter aquilo que você não tem: um sono tranquilo. E, aí, qual você prefere?

é ingenuidade acreditar que a busca pela tal felicidade está relacionada com o ato de comprar. Ou você acredita mesmo que ser dono de um carro qualquer é suficiente para transformá-lo num ser livre e feliz?

no fundo, eu, você e o porteiro do prédio sabemos que não somos heróis porra nenhuma. Mas, por 30 segundos, fingimos que sim: "We can be heroes, just for one day".

afinal, necessitamos do autoengano para sobreviver.
    

Nenhum comentário:

Postar um comentário