sábado, 7 de abril de 2012

quem será o próximo Daniel Zamudio?


no Chile, um rapaz de 24 anos, Daniel Zamudio, teve que ser assassinado de maneira brutal para os parlamentares de lá, após sete anos de embromação, aprovarem uma lei que pune a discriminação por orientação sexual.

mesmo assim, a votação foi apertada: 58 votos a favor; 56, contra. E alguns aspectos ainda ficaram pendentes.

os chilenos acabaram aprovando a lei em tempo recorde porque o crime, de tão cruel, chocou toda a população do país. E fez até o presidente Sebastián Piñera pressionar os deputados pela aprovação do texto.

no Brasil, é de conhecimento público que, todo ano, centenas de homossexuais morrem vítimas do preconceito. Mas esses assassinatos ainda não foram suficientes para comover nem a população nem os políticos.

ao que parece, vamos ter que aguardar um homossexual ser espancado, torturado e morto da forma mais hedionda e covarde possível para que os brasileiros, os parlamentares e a presidente Dilma se mobilizem pela aprovação da PLC-122, projeto de lei que criminaliza a homofobia no Brasil.

só não entendo porque precisamos esperar que alguém seja assassinado e vire notícia em todo o mundo para tomar uma atitude. 

não seria mais humanitário (e cristão) tentar evitar que um crime bárbaro como esse se repita? Quantos mais precisam morrer para causar algum espanto, alguma comoção, alguma manifestação popular que pressione os políticos a aprovarem logo essa lei?

por enquanto, a única certeza que tenho é que, se nada for feito a tempo para coibir os ataques homofóbicos, um dia teremos o "nosso" Daniel Zamudio.  
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário