quarta-feira, 4 de abril de 2012

um exame de endoscopia e as horas mortas


fiz a minha 36a endoscopia.

mentira. Foi só a quinta vez. Sofro de gastrite nervosa e toda vez que vou ao gastroenterologista, ele pede esse exame para “ver” como está o meu detonado aparelho digestivo.

ao que parece, minha gastrite não cura nem piora. Tomo uns remédios que o médico prescreve e, no ano seguinte, lá está a danada da gastrite de novo, sempre no mesmo estágio, queimando o meu estômago, implorando para eu parar de fumar e de tomar café.

ai, ai... será que um dia eu paro?  

o ruim de passar por uma endoscopia é ter que ficar 12 horas de jejum. Morro de fome. O bom é que, antes do exame, recebo uma anestesia na veia que me derruba em cinco segundos e, quando acordo sem me lembrar de nada, estou completamente grogue, com os sentidos amortecidos, tipo Lucy-in-the-sky-with-diamonds.

é uma sensação prazerosa. Quase tão prazerosa quanto tomar ayahuasca – o chá alucinógeno do Santo Daime que experimentei quando estive lá no Acre.

o enfermeiro me informou que esse anestésico que faz a gente apagar e, depois, flutuar, é do mesmo tipo que o Michael Jackson usava para dormir.

olha, impressiona saber disso, viu. O anestésico é fortíssimo. E falam que o Michael Jackson necessitava de doses cavalares para conseguir adormecer. Que vida de merda teve o Rei do Pop, hein?

para minha saúde mental, para o meu equilíbrio, necessito dormir. Dormir, não. Apagar. Muitas vezes é tudo que quero: apagar. E fico imaginando como seria incrível se a gente tivesse um botãozinho de on/off para nos desligarmos do mundo a qualquer momento. 

seria delicioso, não? Ser senhor do seu tempo, escapar do tédio, das horas mortas, do fardo horrível de "estar ligado" quando o que mais desejamos é apagar. 

infelizmente, não temos esse botãozinho. Mas temos os anestésicos. No ano que vem, lá vou eu de novo fazer outro exame de endoscopia e apagar por uns 15 minutos. 

são apenas 15 minutos. Mas 15 minutos de completa paz, escuridão e silêncio.    

3 comentários:

  1. Ei Marcos excelente reflexão com a sua "cruel" gastrite nervosa! Seria muito bom mesmo, se tivéssemos um botão do tipo ON/OFF, todas as vezes que o mundo parecesse um "turbilhão incessante" de problemas, causadas pelo "povinho" ignorante!
    Já pensou? Abraços estimados amigo!

    ResponderExcluir
  2. Achei seu blog pq tbm ando tomando antidepressivo.Não faço ideia de quem vc seja mas gostei do seu blog.

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Marcos, como está a gastrite? piorou ou melhorou

    ResponderExcluir