sábado, 26 de maio de 2012

Flores do Oriente


os críticos não gostaram de “Flores do Oriente”, o novo filme do diretor chinês Zhang Yimou (“Lanternas Vermelhas”, “Herói”, “O Clã das Adagas Voadoras”).

baseado em um episódio conhecido como Massacre de Nanquim, quando o exército japonês, em 1937, invade a então capital da República da China e mata 200 mil pessoas, cometendo inúmeras barbaridades, como estupros e execução de civis, “Flores do Oriente” conta a história de John Miller (Christian Bale), um agente funerário norte-americano que se refugia em uma igreja católica junto com um grupo de meninas pré-adolescentes e outro grupo formado por prostitutas.

ali, em local supostamente neutro, pensam estar protegidos das atrocidades da guerra que explode lá fora. Não estão.    

Yimou é conhecido por seu preciosismo visual, por transformar lutas marciais em balés. Em “Flores do Oriente”, o diretor é acusado de fazer o mesmo com a violência, espetacularizando o horror. Isso, creio eu, significa que Yimou filmou o feio de maneira bonita. Ok, pode ser. Há algumas câmeras lentas para "amenizar" o horror.  

melodramático, “Flores do Oriente” é basicamente um filme sobre sacrifícios heróicos, de uns morrerem para salvar a vida de outros. E embora a gente já tenha visto essa história repetidas vezes no cinema, sempre funciona. 

não para os críticos, claro, que assistem ao filme além do filme. Para mim, mero espectador, "Flores do Oriente" cumpriu seu objetivo: mostrou a estupidez e a selvageria da guerra e as putas mais "coração bom" do mundo. Eu gostei.

Assista ao trailer aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário