sexta-feira, 29 de junho de 2012

discutir a "cura gay" é dar um salto para trás


O Brasil é um país lamentável. 

Faz tempo, em 1973, a American Psychiatric Association retirou a homossexualidade da lista dos transtornos mentais ou emocionais. Essa decisão foi ratificada pela American Psychological Association, pela American Counseling Association, pela Associação Brasileira de Psiquiatria, pelo Conselho Federal de Medicina e pela Organização Mundial da Saúde.

O Conselho Federal de Psicologia pede explicitamente que os psicólogos não colaborem com serviços que propõem a tal “cura” da homossexualidade.

Pois bem. Quase 40 anos depois, o Brasil, por iniciativa homofóbica de um deputado evangélico, com apoio homofóbico de uma psicóloga cristã, dá um espetacular SALTO PARA TRÁS e volta a discutir o assunto.

Fosse um bate-boca de mesa de bar, a gente quebraria uma garrafa na cabeça do sujeito e assunto resolvido. O problema é que a “cura gay” está sendo defendida na Câmara dos Deputados, por políticos que agem de acordo com as suas imbecis convicções religiosas.

Olha, se você é evangélico ou cristão, tem todo o direito de ser evangélico ou cristão. Mas você não tem o direito de querer transformar sua fé cega e burra em lei.

A lei é para todos. E nem todos, pelo menos por enquanto, necessitamos de "sessões de descarrego" para nos sentirmos menos imprestáveis.

Como já escrevi aqui, a homossexualidade não tem “cura” simplesmente porque não é doença. E voltar a esse assunto só comprova que somos mesmo um país de bosta. 

Logo, se nada for feito para interromper o avanço dos religiosos na política, o Brasil dará um salto ainda mais espetacular para trás. Quem sabe, com propostas de mandar para a fogueira homossexuais, maconheiros e "bruxas".

Se esse for o tal "país do futuro", coitado do futuro.     

2 comentários:

  1. Gostaria de propor a cura evangélica. Isso sim é doença mental e social. Não me refiro a quem segue sua fé e vive de acordo com o que acredita. Esses eu respeito. Os "doentes" são os que se dotam de uma arrogância escrota, intitulando-se "de Deus" como se isso os colocasse numa categoria superior de seres humanos. E não contentes com isso arvoram-se em julgar e condenar os seres que eles julgam inferiores, os pecadores, ou seja, a humanidade inteira. Pois acho que isso deveria dar cadeia, como deveria dar cadeia querer enfiar a religião na política e nas leis, O Brasil é um estado laico, e quer saber? tenho pavor da cara de Jesus, pavorrrrrrr......

    ResponderExcluir
  2. mano, tu escreve bem... Gostei do seu blog. Continue, por favor. Só não posto no meu Facebook, porque tenho vários amigos homofóbicos e não gostaria de criar atritos. Mas realmente, obrigado.

    Vinicius

    ResponderExcluir