sexta-feira, 1 de junho de 2012

vivendo na retranca


Queria, juro que queria sonhar e acreditar no sonho. Apostar alto na vida, correr riscos, me aventurar pelo desconhecido. Afinal, toda mudança, todo avanço vem da coragem de ousar o novo, tentar o não tentado, pensar o impensável. 

“Quer algo que você nunca teve? Faça algo que você nunca fez.”

“Aqueles que são loucos o suficiente para acreditar que podem mudar o mundo são aqueles que realmente mudam.”

E eu aqui, vivendo na retranca para evitar uma indigestãozinha qualquer.

Falam por aí que prudência e canja de galinha não fazem mal a ninguém. É verdade. Mas também não levam ninguém a lugar nenhum. Ou pior: podem me levar à morte em vida, à resignação acomodada.

Serei eu um “cadáver adiado que procria”, hein, Fernando Pessoa?

Admiro muito aqueles que fazem acontecer, que levantam a bunda do sofá, arregaçam as mangas e vão à luta. Ou você acha que algo verdadeiramente grandioso é feito no mundo só protestando no Twitter ou no Facebook?

E cá está a minha maior incompetência. Sei o caminho para escapar do tédio, mas faltam-me entusiasmo e paixão para pegar a estrada.   

Li que "sonhar e acreditar no sonho são o sal da vida". Deve ser verdade. E deve ser por isso que, ultimamente, minha vida anda com gosto de nada.

Alguém aí tem um sonho pra me emprestar?  

2 comentários:

  1. ...adorei o texto...o mais difícil no atual mundo em que vivemos é realmente ter coragem para enfrentar aqueles que nos podam e transcender a linha imaginária do controle que nos é imposta. Pede-se coragem, pede-se ousadia, mas o mundo está preparado para tudo isso?

    ResponderExcluir
  2. juro por Deus que nas minhas crises de irritação quem vem com frasesinha de autoajude para-choque de caminhao nao toma uma voadora no peito, e sim um ippon no pescoço!

    ResponderExcluir