domingo, 15 de julho de 2012

à luz de vela (de defunto)


Fui até o bar da esquina comprar cigarros. Ao voltar, encontro o prédio às escuras, sem eletricidade. Solto um "puta que o pariu!" contrariado – e, claro, absolutamente inútil. Em seguida, respiro fundo e, sem outra alternativa, resolvo encarar a escada. 

São apenas cinco andares. Acho que aguento.

Subo devagar e cauteloso para não tropeçar e para economizar fôlego. Ao fim da subida, percebo, surpreso, que meus pulmões até que suportaram bem o esforço. No apartamento, tudo escuro, tudo desligado, tudo morto. E eu cheio de textos para entregar na segunda-feira. Porra!

Vou até a janela e noto algo estranho. Os prédios do outro lado da avenida estão todos acesos. Parece que só o edifício onde moro está apagado. Falo com a síndica e sou informado que não há previsão de retorno da eletricidade. Pergunto se disseram qual o motivo para aquela queda repentina de energia. 

– Roubaram o cabo da rede elétrica – ela explica. 

– O quê?!

É isso mesmo, car@ leitor@, em plena região central de São Paulo, os bandidos roubam cabos da rede elétrica sem ninguém perceber. E não foi de madrugada, não. A luz pifou mais ou menos às 18h.

Agora são 23h25 e continuo aqui, no escuro, com o coração apertado (escrevo este post no iPad e à luz de vela de defunto).

A verdade é que estamos tão acostumados com a eletricidade que nem percebemos o quanto dependemos dela para sobreviver, para matar o tempo, para suportar a insignificância das nossas vidas. 

Sem eletricidade, não temos TV, internet, geladeira para preencher essa nossa falta do que fazer. E não fosse o iPad para me manter ligado, acho que estaria batendo com a cabeça na parede.

Não sei você, mas eu necessito de ilusão/distração/iluminação/empada de palmito para me aguentar de pé.
 

4 comentários:

  1. acabou a luz do outro lado da paulista também, acho que era quinta-feira a tarde... voltou umas 3 horas depois...
    nessas horas suo frio, ja que habito no 17º andar... O_O
    mas te entendo... e me irrita quem fala: Ah, vai ler um livro... esse estrume deve ter lido menos do que eu... cretino!

    ResponderExcluir
  2. Mais uma vez, adorei o texto!
    Nem fale, ficar sem luz é muito foda =/ E mais foda ainda é saber que foi porque uns idiotas roubaram cabos da rede elétrica! O.o
    Espero que esteja tudo normal agora ^^
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Parabens Marcos Guinoza por mais esse belo texto (acho que estou virando seu fã). Gostei muito desta comparação(metáfora?) da falta de energia elétrica com a falta de energia no dia a dia (rotina). Mesmo que não tenha sido intencional, eu entendi dessa forma, talvez erroneamente.Quem sabe? Mas de qualquer forma, destaco esse trecho do Rappa(O Que Sobrou do Céu) para ilustrar.
    "O chá pra curar esta azia
    Um bom chá pra curar esta azia
    Todas as ciências de baixa tecnologia
    Todas as cores escondidas nas nuvens da rotina
    Pra gente ver... por entre prédios e nós...
    Pra gente ver... o que sobrou do céu... o la lá"

    ResponderExcluir
  4. Na boa, véi. Tu escreve mal pra caramba. Tá tudo no lugar gramaricalmente, mas as ideias são de uma indigência franciscana.
    "Sem eletricidade, não temos TV, internet, geladeira para preencher essa nossa falta do que fazer. E não fosse o iPad para me manter ligado, acho que estaria batendo com a cabeça na parede"
    Tu pensou quanto tempo pra escrever essa peróla?

    ResponderExcluir